28.3 C
São Paulo
sábado, 24 de fevereiro de 2024

Por que não me preocupo com o amanhã? Porque aprendi a descansar em Deus Hoje!

Portanto, não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará suas próprias preocupações. É suficiente o mal, que cada dia traz em si mesmo. Evangelho de Mateus (6:34).

são muitos os motivos, que conduzem pessoas aos mais auspiciosos e dilacerantes sintomas de ansiedade. Os acontecimentos e os reflexos da vida moderna, não foram e nunca serão suficientes para desarraigar um mal patológico, cada dia mais presente na vida das pessoas refiro-me á ansiedade, ou de acordo com a nomenclatura Psiquiátrica largamente difundida por médicos Psiquiátricos e Psicólogos. Segundo declarações da Psicóloga Marina Vasconcellos, em matéria publicada pela revista Veja (Saúde), na data de 27 de Abril de 2021. “Ansiedade e os transtornos de ansiedade são um conjunto de doenças psiquiátricas marcadas pela preocupação excessiva, ou constante; de que algo negativo vai acontecer”

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, 264 milhões de pessoas vivem afetadas por transtornos de ansiedade no mundo. No Brasil, esse número corresponde a 9,3% da população. O que faz do Brasil, o líder deste ranking.

Por que não me preocupo com o amanhã? Porque aprendi a descansar em Deus hoje! “Lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós”. 1ª Carta escrita pelo Apóstolo Pedro. 5:07.

Martas e Marias: dois mil anos depois!.

Certamente Jesus já estivesse cansado, pois o dia foi longo e dentre idas e vindas, diferentemente dos pastores de hoje, sempre havia lugar na “agenda” de Jesus. Tanto foi assim, que após conversar de forma pública, porém “reservada” com seus discípulos contando-lhes parábolas, como uma forma representativa do cotidiano das pessoas, Jesus chega a um povoado onde certa mulher chamada Marta, o recebe em sua casa. (Lucas 10.38).

Marta e Maria eram nomes tão comuns como comum é a ansiedade, dois mil anos depois e como era comum, nos dias de Jesus. Certamente Judas não foi o causador direto da morte de Jesus, mas certamente tomado pela ansiedade de tê-lo traído e o peso de sua consciência o acusando, uma crise de pânico fez com que suas emoções e sentimentos entrassem em colapsos!

Assim como inúmeros motivos, múltiplas razões e um emaranhado de conflitos, muitos dos quais sendo enraizados e naturalmente proporcionados pelo descontrole emocional, muitas pessoas vivem os mais diferentes dilemas, em pleno mundo tecnológico e espantosa proficuidade científica. A despeito de tudo isso, após longas conversas com seus discípulos assumidos e outros “camuflados”, a conversa toma outra direção e como um bom destruidor de protocolos, Jesus se depara com duas mulheres diferentes, duas situações diferentes e dois comportamentos opostos. Marta é uma boa representante da mulher moderna. “Inquieta”, “Ocupada” e com “muitos” afazeres. Este tipo de comportamento, é uma prova contundente de que mesmo separados por mais de dois mil anos, a ansiedade, a preocupação excessiva e o envolvimento desregrado e sem controle, ainda são fatores causadores de muitos males!. Por outro lado, Maria é o comportamento oposto, em que pese, certamente ela tivesse coisas esperando para serem feitas, ela priorizou dar atenção, se assentar; ouvir e aprender aquilo que não se aprende na escola, mas se adquire como parte dos ensinamentos de nosso maior Professor, o Mestre Jesus.

“Quem tem ouvidos para ouvir ouça!” Maria parou para ouvi-lo, quantos (as) estão dispostos á ouvi-lo hoje?”.

A expectativa de que algo ruim e mal está para acontecer, é uma característica de uma pessoa ansiosa, pois a ansiedade fecha ás torneiras de nossa percepção mental, ela nos coloca de forma a nos sentir tão pressionados pelos problemas do dia-a-dia, que nos dissipa qualquer possibilidade de aprendermos a descansar em Deus hoje. Marta é o retrato de uma sociedade perturbadora e altamente perturbada. Hoje, problemas de natureza ambiental, comportamental, social, relacional e econômicos são gatilhos potencialmente possíveis de disparar grandes formas e manifestações de ansiedade.

Marta, envolvida com e pelas coisas da vida. “Marta! Marta! Andas ansiosa e te afliges por muitas razões! “O polo negativo de uma mulher (pilhada)”. “A cara da mulher moderna”.

É possível que Maria, também tivesse suas razões e motivos para viver assolada pela ansiedade, mesmo porque; assim como Marta, ela também vivia em uma sociedade cheia de contrariedades, devaneios existenciais e problemas políticos e sociais, de todas as formas que sentimos o peso, de um mundo transtornado, pelas inversões de valores (feminicídio), distanciamento dos valores éticos e morais (corrupção) e descrédito nas pessoas e instituições (Imperadores, imorais e altamente corruptos), como se vê, o mundo em que ambas viviam eram similares em seus problemas comuns, porém os “mundos” individuais e a forma de compreendê-los eram diferentes. Existem dois princípios colocados pelo Apóstolo Paulo, nas formas de lidarmos com ele (mundo).

Conformar e transformar: As duas formas de interpretar o mundo. “Não vos conformeis com este Século, mas transformai-vos, pela renovação do vosso entendimento”. Romanos 12.1.

Aprender a descansar em Deus hoje é o grande desafio no mundo atual. Neste exato momento em que estamos escrevendo, um número incalculável de pessoas estão passando pelas maiores crises existenciais de sua história, entre discussões, xingamentos e agressões físicas e psíquicas, o mundo ruiu! E muitas vezes, a única pessoa que me resta sou eu mesmo (a), nesse momento temos duas possibilidades diante de nós, me “conformar”, ou ser “transformado (a) pela renovação do vosso entendimento. Aprender é o resultado de uma decisão pessoal, e uma coisa bem falada nos meios pedagógicos, é que o sujeito que se transforma, é aquele que “aprender a aprender”, ou nas palavras de Albert Camus: “Pensar é reaprender a ver”. Maria talvez, já tivesse passado por experiências na vida, cujos efeitos em seu modo de se ver e ver ás coisas, certamente deva ter – lhe ensinado, a priorizar aquilo que é mais importante, isto é; “Maria escolheu a boa coisa”. No entender de Jesus, a melhor de todas as coisas (ver.42). Será que já aprendemos a escolher ás melhores coisas? ou ainda, trocamos o certo pelo duvidoso?

Duas razões principais para eu não andar ansioso (a). “O amanhã trará suas próprias preocupações“. Mateus 6.34.

“O amanhã trará suas próprias preocupações“. Este é o principal motivo para não andar ansioso, além de ser também, a razão principal para não me preocupar com o amanhã. Há muitas pessoas especialistas em sofrer por antecipação. E sofrer por antecipação e agregar uma carga emocional fora de seu próprio tempo, ás vezes se faz uma ideia tão deslocada e descontextualizada de uma situação, que quando a situação chega, ou aquilo que tirou teu sono chegou, as coisas se deram bem diferente daquilo que minha preocupação projetava, pois no fim das contas, o problema se foi e uma das coisas ruins que ficaram foi a forma inócua e desproporcional, da maneira como sofri antecipadamente, fora de tempo e longe da realidade vivida. “Há um tempo certo para cada situação a ser vivida debaixo do sol, tempo de plantar e tempo de arrancar, o que se plantou… tempo de guerra e tempo de paz”. Será que o momento não é o mais propício e o mais indicado: “descansar em Deus?”. Não se preocupe antes do tempo deixe o amanhã se encarregar de trazer suas próprias preocupações!

“…É suficiente o mal que cada dia traz em si mesmo (Mateus 6.34).

Se Marta tivesse se atido a isso, certamente teria deixado suas preocupações e inquietudes ansiosas de lado.

Aprender a descansar em Deus, não quer dizer que não sejamos afligidos e atingidos, mas é se dar conta e ter a certeza, de que nunca estará sozinho. Deus não te livra da dor, mas: “…o Senhor o assiste no leito de enfermidade, na doença tu lhes afofas a cama”. (Salmo 41.3).

Na tomada de decisões, o Senhor lhe mostrará, qual o caminho deves seguir. “Deus como são complexos e preciosos os teus pensamentos para mim, quão vastos e profundos os teus conhecimentos, …veja se há em mim algum caminho mal e guia-me pelo caminho bom”. Deus sabe o melhor caminho, mas nem sempre o caminho que Ele tem para você será o caminho mais fácil. (Fazer a vontade de Deus, também dói!).

“É suficiente o mal que cada dia traz em si mesmo”. É um outro motivo pelo qual, preciso não me preocupar com o amanhã e aprender a descansar em Deus hoje. Nem todo sofrimento é uma tentação mas, toda prova nunca será uma tentação. Por duas razões: Quem tenta é o diabo e quem prova é Deus. “Entretanto, ninguém ao ser tentado deverá dizer: estou sendo tentado por Deus, ora Deus não pode ser tentado para o mal e a nenhuma pessoa tenta” (Tiago1.13). Neste sentido, é possível concordar, que há mal que contribui para o nosso bem.

Concluindo.

Os argumentos e o referencial teórico, especialmente com embasamento, nas falas e práticas de Jesus falam por si mesmos, porém; Marta e Maria são figuras reais, as quais fizeram parte do nicho relacional de Jesus, contudo suas experiências vividas e a narrativa apresentada por Jesus explanada pelo Evangelista Marcos, nos fazem perceber, dentre tantas coisas, uma que compreende todas ás vivências de nossa História, “não andeis ansiosos por coisa alguma”. No entanto, como chegar a tamanho êxito? é preciso apenas compreender: “Por que não me preocupo com o amanhã, porque aprendi a descansar em Deus hoje!

Telles
Telles
O autor é Mestrando em Educação. Bacharel em Teologia. Licenciado em: Pedagogia, Filosofia, História. Especialista em: Teologia Bíblica. Ciências da Religião. Neuropsicopedagogia. Orientação Educacional. Psicopedagogia. e cursando: Especialização em Gestão Educacional e Licenciatura em Letras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais

O Mundo Precisa “Chorar”.

O “EU” DIVIDIDO.

Patrocínio