19.9 C
São Paulo
sábado, 29 de janeiro de 2022

É possível o altruísmo na atual sociedade?

Exemplo de altruísmo, no século XX, o médium Chico Xavier deixou  inúmeras lições aprendidas ao longo da vida. Tendo como modelo Jesus Cristo, Xavier foi, ele mesmo, exemplo para gerações de espíritas e outros seguidores de religiões diversas, trazendo o ecumenismo para o dia-a-dia de todos aqueles que respeitavam  sua palavra. Ao contrário da postura egoísta predominante no atual estágio do planeta Terra, a crise moral pela qual a humanidade passa, não permite que o altruísmo e a amorosidade façam parte da sociedade moderna, em sua maioria.

As aflições do mundo são muitas, mas o comportamento egocêntrico não permite que a fraternidade aflore e crie espaço para o espírito de coletividade, tão necessário, sobretudo neste momento. Assim como todas as qualidades, o altruísmo, que se refere à capacidade de amar ao próximo, aprendendo a se colocando no lugar do outro (chamado também hoje de empatia), praticando-se a generosidade,  pode ser cultivado a partir do esforço e compreendimento individual: um problema que se enfrenta é a falta de humildade, quando nossos pares não reconhecem o talento, o merecimento e a qualidade das pessoas.

Para combater o egoísmo, talvez a renúncia a outros predicados possam trazer à baila o altruísmo pessoal, de cada um. A sociedade moderna, enferma, vítima dos próprios vícios luta para transformar os maus hábitos, buscando sentimentos mais puros como o amor e a solidariedade (o que não fácil); isso porque, o tempo todo, a humanidade cobra que uns sejam melhores e que tenham mais coisas materiais que os outros.

Perseverança e vontade de vencer ainda estão enraizadas no ser humano pouco evoluído: a competição vem a galope e destrói qualquer tentativa de benevolência para como outro. Ao contrário do que muitos podem pensar, ser altruísta não é abrir mão de si mesmo, mas aprender a agir de forma equilibrada, buscando o bem estar pessoal e de seus semelhantes também. .

Por que certas pessoas são mais desprendidas e conseguem se dedicar mais aos outros? Porque descobriram o propósito de ajudar os outros, obtendo um bem-estar que não há preço que pague. Isso, segundo elas mesmas!

Seres que passaram pela Terra, e tiveram compaixão da humanidade são sempre lembrados: Chico Xavier, Madre Tereza, Gandhi, Irmã Dulce, e tantos outrxs. A prática do altruísmo para elxs era um modo de vida, de ensino e aprendizado.

Em uma sociedade cada vez mais competitiva, o conceito de altruísmo acaba se perdendo. A construção de uma sociedade melhor tem como um dos seus principais pilares a ajuda ao próximo sem distinções. Quanto mais pessoas praticam o altruísmo, mais o ser humano sai fortalecido, trazendo e garantindo o bem-estar de todxs.

Sobre a autora: Profissional formada em Jornalismo pela Universidade Braz Cubas e pós-graduada pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo e Unibero; especialista em Carnaval, Afro cultura e outros assuntos. Trabalho desde o início dos anos 1990 como profissional de comunicação, tendo passado por grandes veículos, como TVs Globo, Rede TV!, Record e SBT, agências O Estado de São Paulo (AgEstado) e Folha de São Paulo (Publifolha), Sistema Globo de Rádio/ CBN, Rádio Nativa, ECAD, Metrô News, Agnelo Pacheco Publicidade, entre outras empresas da área.

Deixe uma resposta

Leia mais