19.8 C
São Paulo
terça-feira, 20 de fevereiro de 2024

CRISTO NÃO TEM RELIGIÃO, O ENSINO RELIGIOSO NÃO TEM CRISTO, E AS ESCOLAS CARECEM DE CRIANÇAS “EM” E “COM” CRISTO.

educa a criança no caminho em que ela deva andar e até quando envelhcer não se desviará dele”.

PROVÉRBIOS 22:06

Jesus foi o maior professor de toda a História dos homens, além de ter-se deparado com pessoas, nas situações mais antagônicas e contrárias, àquilo que lhes desejava, foi imperativo quando os discípulos em determinada situação, esta relatada nos Evangelhos, e dentre aqueles que registraram, Mateus em seu livro, especialmente em capítulo 19:14 Jesus repreende seus discípulos, ao mesmo tempo, que lhes afirma categoricamente: “deixem vir a mim às crianças e não as impeçam, porque delas é o reino de Deus”.

DEUS NÃO TEM RELIGIÃO! A PALAVRA RELIGIÃO NÃO APARECE NA BÍBLIA.

Ao “ensinar” sobre Ensino Religioso, e se deparar com a realidade social, familiar e individual, das crianças não constitui nenhum exagero dizer, que a Pedagogia de Jesus, nada tem a ver com a Pedagogia dos homens. A começar pelo fato, de que a Pedagogia de Jesus, se baseava na prática de vida, alicerçada em um relacionamento pessoal com Deus. Enquanto, que a Pedagogia relacionada, associada ao Ensino Religioso, pouco, ou nada associa á prática de vida da criança, aos relacionamentos de vida prática com Deus. Aliás, o Cientificismo científico, tranca à sete chaves, a ligação da criança com o modo de viver representado e fundamentado, na prática de vida de Jesus. O sistema religioso baseado nas atividades pedagógicas praticadas nas escolas, pouco ou quase nada, influencia na vida comportamental das crianças, pois Deus não segue às normas da BNCC. Historicamente, oficialmente, a Religião surge, a partir de sua instituição por Constantino como Religião oficial do Império Romano. O fato é que a Religião é uma construção humana, onde surgem às denominações e organizações institucionais religiosas, sendo assim, é correto dizer, que Deus não tem, nem nunca teve, uma religião. “Religare” não serve como meio, mas Cristo, se coloca e se autodenomina, como o ÚNICO caminho.

O ENSINO RELIGIOSO FALA SOBRE ALGO QUE NÃO TEM E POUCO CONHECE.

É verdade, que de acordo com as normas da BNCC, professor de ensino religioso mostra os aspectos conceituais, culturais, e nominais de aspectos ligados à Religião, porém, é fato, que há um grande medo nos meios acadêmicos e escolares, que os estudantes “conheçam” á Cristo de fato, pois confundem a experiência com Cristo, a uma aprendizagem conceitual e religiosa. Isso torna o Ensino Religioso como uma espécie de “Shibolete” religioso. A escola está entre os meios de convivência social, onde menos se apregoa, ou se usa a palavra Deus. Isso torna o ambiente escolar em em ambiente nulo, quando se busca, a melhora comportamental, mental das crianças, é como se comparássemos o que diz a Antropologia, ou teologicamente, se denomina como: “Tricotomia”, isto é; o corpo, a alma e o espírito, todavia, se trabalha o corpo com esmero, a alma com os atendimentos e acompanhamentos, psíquicos e psicopedagógicos, e se anula, o ser, na sua essência espiritual. Jesus foi categórico em dizer, que o homem espiritualmente está morto! Por isso, mesmo quando estávamos espiritualmente mortos nos nossos pecados, ele nos deu uma vida nova juntamente com Cristo. Vocês foram salvos pela graça de Deus. (Efésios 2:05).

POR QUE, O ENSINO RELIGIOSO NÃO TRANSFORMA COMPORTAMENTOS?

“o homem natural não compreende as coisas do espírito, porque lhe parecem loucura, e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente”.

1ª AOS CORÍNTIOS 2:14.
  1. Ele, o Ensino Religioso tem bases científicas, não espirituais.
  2. Ele, o Ensino Religioso é uma “Aspirina” religiosa, e não um fluxo de experiência e vivências com Deus.
  3. Há muito medo na relação ciência e religião.

RELIGIAO E CIÊNCIA NÃO SE MISTURAM, FÉ E CIÊNCIA NÃO SE SEPARAM.

O profeta Daniel, HÁ milênios havia dito: “…. a ciência se multiplicará…”. Livro do Profeta Daniel, 12:04. Não foi apenas, a ciência que se multiplicou, mas a religião também, a cada um ao seu modo, andaram em caminhos paralelos, porém, antagônicos, ainda, que homens de ciência, como Isaac Newton, Immanuel Kant, Soren Kieerkgard, e tantos outros, construíram suas elucubrações científicas embasados em pensamentos bíblicos. O cientificismo afasta a Ciência de Deus, enquanto, o fanatismo Religioso afasta Deus da “Religião”.

“DEIXAI VIR A MIM OS PEQUENINOS…”. O SISTEMA SISTEMATIZOU A DEUS.

Deus não faz parte do sistema, mas quer fazer parte, da vida de nossas crianças (alunos), pais , famílias e toda a comunidade escolar, contudo; se usa a Laicidade como uma “tranca” a qual, separa às crianças de Deus. Uma Pedagogia com Deus, e uma escola em que se fale de Deus e não sobre ele, apenas, se constitui na forma mais impactante, de mudar os comportamentos, levando nossas crianças, não à religião, mas sim, a uma experiência de vida com Deus, na prática de vida, modo de vida ensinado por Jesus, não de forma sistematizante, mas de forma natural, única e espiritual. Enquanto as escolas forem ambientes, em que se trabalhe os lados do corpo, da alma e negligencie o espírito, como forma da essência humana, e o ESPÍRITO, como uma necessidade essencial, na prática de vida e na experiência humana, especialmente, na vida de nossas crianças, continuaremos “enxugando” gelo, pois as coisas espirituais, só podem ser compreendidas, na prática da experiência de vida com Deus, em Deus por Deus.

Telles
Telles
O autor é Mestrando em Educação. Bacharel em Teologia. Licenciado em: Pedagogia, Filosofia, História. Especialista em: Teologia Bíblica. Ciências da Religião. Neuropsicopedagogia. Orientação Educacional. Psicopedagogia. e cursando: Especialização em Gestão Educacional e Licenciatura em Letras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais

O Mundo Precisa “Chorar”.

O “EU” DIVIDIDO.

Patrocínio