15 C
São Paulo
sexta-feira, 1 de julho de 2022

Políticas públicas para jovens infratores: reflexões a partir de uma perspectiva socieducativa

Este trabalho teve como objetivo analisar o plano de ação da Fundação de Atendimento Socioeducativo (FUNASE), descrevendo as fragilidades e os pontos fortes desta política voltada para a juventude que se encontra em vulnerabilidade social, tomando como base para estudo a dimensão educativa. Os dados foram obtidos por meio de uma pesquisa bibliográfica, a partir de uma análise documental do Plano de Ação da FUNASE, bem como a partir dos dados oriundos do relatório 2017. Constatou-se que o Plano de Ação de políticas públicas voltadas para criança e o adolescente, tem como destaque as áreas de Educação, Saúde, Educação profissional, Segurança cidadã, Família e Integração social comunitára. Identificou-se uma descrição superficial do plano em cada dimensão, não sendo verificado os objetivos, metas e ações para cada dimensão. Quando se observou o relatório, percebeu-se um maior número de informações quantitativas, o que facilitou uma compreensão da execução do plano de ação proposto. Assim, é possível relatar que o viés educativo é muito forte e expressivo na formação humana e que existe uma necessidade de deixá-lo mais robusto, tanto o plano de ação, quanto as ações de formação no sentido de contribuir para uma autonomia e uma melhora na autoestima desses sujeitos de modo a ressocializá-los numa sociedade brasileira que ainda é marcada pela exclusão e pelo preconceito.

Palavras-chave: Políticas públicas, jovens infratores, inclusão social, principio socioeducativo.

Autor:

José Rinaldo Domingos de Melo

Download:

Deixe uma resposta

Leia mais

Patrocínio