15.3 C
São Paulo
quarta-feira, 25 de maio de 2022

Fundação Abrinq alerta sobre os sinais da violência sexual infantil em série de vídeos da campanha “Pode Ser Abuso”

Diariamente, quase 80 crianças são vítimas desse tipo de violência no país. 18 de Maio é o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil

Você sabe reconhecer os sinais de que uma criança está sendo abusada? Esse conhecimento pode fazer toda a diferença para conter a violência sexual infantil, o que é essencial em um País em que a cada hora mais de três crianças sofrem algum tipo de violação sexual. A campanha Pode Ser Abuso, da Fundação Abrinq, irá divulgar durante todo o mês de maio, uma série de vídeos com o objetivo de mobilizar a sociedade no combate à violência sexual infantil, alertar sobre os sinais que podem indicar possíveis casos de abuso e, principalmente, incentivar a denúncia.

Toda semana novos vídeos estarão no ar, com especialistas explicando diferentes temas relacionados à violência sexual infantil, como o conceito da violação, consequências e até o comportamento do abusador. Os dois primeiros já estão no site: “Violência sexual infantil e suas diferentes formas” e “Entenda o fluxo das denúncias de violência sexual infantil”.

“É importante a consciência de que conter a violência sexual infantil é um papel de todos nós. Precisamos proteger as crianças e, para isso, é fundamental entender os sinais de alerta, as mudanças de comportamento, saber os caminhos para efetuar uma denúncia. O objetivo da Fundação Abrinq com a campanha Pode ser Abuso é mudar esse cenário de violência infantil que temos hoje”, destaca Victor Graça, gerente executivo da organização.

Atualmente, quase 80 crianças são vítimas diariamente de algum tipo de violência sexual no Brasil, sendo 86% do sexo feminino, na faixa etária entre 10 e 19 anos. Somente em 2020 foram registrados no país quase 30 mil casos contra crianças e adolescentes, segundo dados do Ministério da Saúde.

Realizada desde 2018, a campanha Pode ser Abuso busca mobilizar a sociedade chamando atenção principalmente à consciência de que a violência sexual contra crianças e adolescentes não é normal, que esses números precisam mudar e que essa transformação depende do envolvimento de todos. A principal arma para combater a violação é a informação.

O site da campanha traz diversas abordagens sobre o tema, como as formas em que a violência sexual pode ocorrer, os sinais que crianças e adolescentes de cada faixa etária apresentam quando sofrem violência, a importância das denúncias e os canais e as formas de denunciar.

Também estão disponíveis no site materiais para quem quer aderir à campanha e ajudar a divulgar o tema e o e-book Chega de Violência: Manual sobre como proteger as crianças e os adolescentes da violência sexual.

Temas dos próximos vídeos:

– Sinais que a criança dá ao sofrer violência sexual

– Entenda o comportamento do abusador

– Consequências da violência sexual infantil a médio e longo prazos

– Qual é o papel da sociedade no combate à violência sexual infantil?

– Violência sexual infantil: existe superação?

– O que não te contam sobre violência sexual infantil

Autor:

Leandro Andrade

Deixe uma resposta

Leia mais