9.6 C
São Paulo
quinta-feira, 19 de maio de 2022

AUTOENGANO

Hoje amanheci com muita sede.
Cedi a um desejo.
Bebi até a última gota os meus murmurejos.
A sede do meu desejo não era o meu sexo
Era o meu coração.
Desejei voltar a outras eras.
Amanheci em tremores e temores.
Eras transformadas em lembranças
Perdidas nas brumas do tempo.
Hoje fiz-me criança de novo.
Corri até onde pude.
Sentei e fui ler um livro.

Deixe uma resposta

Leia mais

OUTONO

EU – NÓS

A paz dos fortes

Esperar o que?

UM PRESENTE AOS DIAS FUTUROS