16.7 C
São Paulo
quinta-feira, 17 de junho de 2021

A sociedade internacional pós-pandemia e a responsabilidade internacional da China pela pandemia da COVID-19

Em meio a um cenário tão caótico de transmissão de um vírus onde a sua redução de transmissão é o distanciamento social. Como já dizia o filósofo Aristóteles “o humano é um ser social porque é um animal que precisa dos outros membros da espécie”. Essa frase em tempos atuais vem para frisar , que somos totalmente sociáveis e que o distanciamento é uma tremenda barreira porém a mais eficaz no combate ao vírus.

Em meados de outubro de 2019 especialistas simularam uma pandemia o Event 201 , março de 2020 deixa de ser uma ilustração de um exercício pandêmico e torna-se uma realidade. Uma ilustração ou um resumo dos tempos atuais vividos?

Com o primeiro caso da COVID-19, localizado na China, na cidade de Wuhan, entre final de novembro e início de dezembro, dava o alerta de um colapso hospitalar e econômico mundial. Diante disso fica nítido que a omissão do perigo do vírus na sociedade ,agrava ainda mais, e dificulta o combate ao vírus. Por isso se faz necessário as informações transmitidas de um país para outro para se fazer eficaz o combate ao vírus. A China ao ter ciência do vírus, reportou a Organização Mundial de Saúde (OMS), que em 30/01/2020, um mês após o relato do vírus, foi decretado emergência de saúde pública de interesse internacional. A informação é de total relevância no cenário atual, uma vez que se olharmos de maneira individual aos países, veremos a disseminação do vírus em situações mais agravantes que outros.

O Brasil foi um dos países que mais sofreu e vem sofrendo com a pandemia, ao ter ciência da emergência na Saúde pública, criou o projeto de Lei da Quarentena, para amenizar a transmissão do vírus. O fato do vírus tem sido disseminado da China faria com que ela fosse a responsável pela a disseminação do vírus? ou da OMS de demorar tanto a se pronunciar perante uma resposta ao surgimento de um novo vírus?

A desinformação na era informação mata, o sociólogo Manuel Castells traz uma rica informação em seu estudo acadêmico que tem como principal foco o impacto das tecnologias da informação na sociedade. Para ele um dos maiores exemplos de sociedade informacional é a Finlândia, em que a informação serve o país a um bem estar social e a distribuição de recursos a sociedade. Partindo do estudo do sociólogo diante do cenário que estamos vivendo, a Finlândia é um dos países que vem dando um belo exemplo no frente a crise. Ou seja a ciência do que se está acontecendo ao se tratar de uma crise fez com que países, tomassem alternativas para a proteção da sociedade. Com as informações trazidas logo no surgimento da crise, de que mais da metade da população seria infectada pelo vírus, fez com que autoridades tomassem medidas, de isolamento, o que atualmente tornasse o país com a mais baixa taxa de mortalidade, e um dos países mais bem preparados do mundo para combater a pandemia.

A informação é de total relevância ao enfrentamento da crise, a falta dela aumenta a disseminação do vírus tornando o cenário ainda mais caótico com grandes reflexos na saúde pública e economia do país. A era da informação constitui a nova morfologia social, em um contexto instrumento para a inovação no combate ao vírus.

Referências:
● Homepage, acessado em 18 de março de 2021.
https://coronavirus.saude.gov.br/linha-do-tempo/

● Homepage, acessado em 18 de março de 2021.
https://www.hypeness.com.br/2020/04/paises-que-estao-lidando-melhor-com-coronavirus-sao-comandados-por-mulheres/

● Matéria em meio eletrônico , acessado em 18 de março de 2021.
https://www.ime.usp.br/~is/ddt/mac339/projetos/2001/michel/castells-resenha.htm

Autora:

Tatiany Camargo

1 COMENTÁRIO

  1. Infelizmente a desinformação leva a problemas ainda mais sérios, e principalmente, ajuda a disseminar o vírus. O mundo precisa de informações corretas e verdadeiras, e as pessoas precisam parar de acreditar em qualquer um ou qualquer postagem, principalmente nas redes sociais.

Deixe uma resposta

Leia mais

%d blogueiros gostam disto: