19.1 C
São Paulo
quarta-feira, 12 de junho de 2024

Tesouro americano: investindo em Treasuries

Os títulos do Tesouro dos Estados Unidos, mais conhecidos como Treasuries, representam uma importante classe de ativos para investidores que buscam estabilidade e segurança em suas carteiras de investimento. Emitidos pelo governo federal dos EUA, esses títulos são apoiados pela total fé e crédito do governo, o que os torna uma das opções de investimento mais seguras disponíveis no mercado global.

Os títulos do Tesouro dos Estados Unidos, mais conhecidos como Treasuries, representam uma importante classe de ativos para investidores que buscam estabilidade e segurança em suas carteiras de investimento. Emitidos pelo governo federal dos EUA, esses títulos são apoiados pela total fé e crédito do governo, o que os torna uma das opções de investimento mais seguras disponíveis no mercado global.

A atratividade dos Treasuries não se limita apenas à sua segurança. Eles também desempenham um papel na diversificação de investimentos, especialmente para aqueles interessados em preservar e aumentar seu patrimônio em uma moeda forte como o dólar americano.

Tipos de Treasuries

Os Treasuries vêm em várias formas, cada uma adequada para diferentes necessidades e horizontes de investimento:

– T-Bills (Treasury Bills): São títulos de curto prazo que vencem em um ano ou menos. Eles são ideais para investidores que buscam um local seguro para alocar recursos por um período curto, sem a preocupação de flutuações significativas no valor principal. Os T-Bills são emitidos com desconto sobre o valor de face e pagos integralmente no vencimento, oferecendo um retorno livre de riscos sobre o investimento inicial.

– T-Notes (Treasury Notes): Com vencimentos que variam entre dois e dez anos, os T-Notes são atraentes para aqueles que desejam um fluxo de renda estável. Eles pagam juros semestrais e têm um risco ligeiramente maior em comparação com os T-Bills, mas também oferecem melhores retornos, adequados para investidores que podem se dar ao luxo de assumir uma exposição moderada em troca de rendimentos mais atraentes.

– T-Bonds (Treasury Bonds): Para investidores com um horizonte de longo prazo, os T-Bonds, com prazos de 20 ou 30 anos, proporcionam uma fonte contínua de renda semestral. Embora ofereçam rendimentos mais elevados, eles são mais sensíveis às mudanças nas taxas de juros, o que pode afetar o preço do título se vendido antes do vencimento.

– TIPS (Treasury Inflation-Protected Securities): Estes são projetados para proteger os investimentos contra a erosão do poder de compra causada pela inflação. O principal dos TIPS é ajustado de acordo com as variações no Índice de Preços ao Consumidor, com juros pagos sobre o principal ajustado. Eles são uma excelente escolha para investidores que procuram manter o valor real de seu capital ao longo do tempo.

Ao considerar a inclusão dos Treasuries em uma carteira de investimentos, é fundamental entender essas diferenças e escolher os títulos que melhor se encaixem aos seus objetivos e tolerância ao risco. Esses títulos oferecem uma alternativa global de renda fixa para diversificar e proteger a sua carteira, especialmente para aqueles investidores conservadores que ainda possuem todo o seu patrimônio no Brasil.

Como os Treasuries Funcionam?

Investir em Treasuries dos Estados Unidos é um processo que envolve compreender como esses títulos são adquiridos, negociados e como seu rendimento é calculado. Esses aspectos são fundamentais para tomar decisões informadas que maximizem seus benefícios financeiros e atendam às suas necessidades de investimento a longo prazo.

Compra e Venda

Os Treasuries são inicialmente disponibilizados ao público através de leilões realizados pelo Departamento do Tesouro dos EUA (United States Department of the Treasury). Durante esses leilões, os títulos são vendidos ao maior licitante, e o preço de venda determina o seu rendimento. Investidores podem participar diretamente desses leilões ou adquirir títulos no mercado secundário, onde são negociados como qualquer outro tipo de dívida. A escolha entre participar do leilão ou comprar no mercado secundário depende de uma série de fatores, incluindo a disponibilidade de títulos, as condições de mercado no momento da compra e as expectativas de movimentos futuros das taxas de juros.

Rendimento e Preço

O conceito de rendimento é central para entender como os Treasuries funcionam. O rendimento de um título do Tesouro é a taxa de retorno que o investidor pode esperar receber se mantiver o título até o seu vencimento. Esse rendimento é inversamente proporcional ao preço pago pelo título: quando o preço de um Treasury aumenta, seu rendimento cai e vice-versa.

Essa relação inversa entre preço e rendimento é crucial porque reflete as expectativas do mercado em relação às futuras taxas de juros. Por exemplo, se o mercado espera que as taxas de juros subam, os preços dos títulos tendem a cair, elevando os rendimentos oferecidos a novos compradores. Inversamente, se o mercado espera que as taxas de juros caiam, os preços dos títulos sobem, e os rendimentos diminuem.

Vantagens dos Treasuries

Como já mencionado, investir em Treasuries dos Estados Unidos pode ser uma opção para investidores mais conservadores que hoje concentram todo o seu capital em ativos brasileiros. Perceba que as vantagens se assemelham aos Títulos Públicos que conhecemos.

Segurança

A principal vantagem dos Treasuries é a segurança que oferecem. Como são emitidos pelo governo dos Estados Unidos, que possui uma das economias mais estáveis e robustas do mundo, esses títulos são vistos como praticamente livres de risco de crédito. O governo americano nunca deixou de cumprir suas obrigações de dívida, o que reforça a percepção de segurança. Esta característica é especialmente valiosa em períodos de incerteza econômica, onde os investidores tendem a buscar ativos que ofereçam menor risco.

Liquidez

Outro benefício importante dos Treasuries é a sua alta liquidez. Esses títulos são um dos ativos mais negociados nos mercados globais, o que significa que podem ser comprados ou vendidos com rapidez e com mínima diferença entre os preços de compra e venda (spread). Essa liquidez permite aos investidores ajustar suas posições facilmente, respondendo a mudanças nas condições de mercado ou em suas próprias necessidades financeiras.

Diversificação

Além disso, os Treasuries, bem como qualquer outro ativo internacional, são uma excelente ferramenta de diversificação. Para investidores conscientes da importância de diversificar geograficamente seus portfólios, esses títulos oferecem uma proteção contra a volatilidade das moedas locais, como é o nosso caso com o real. 

Estas vantagens fazem dos Treasuries uma opção atraente não apenas para investidores conservadores que priorizam a segurança, mas também para aqueles que buscam uma gestão de patrimônio eficiente e uma base sólida em suas estratégias de investimento internacional.

Riscos Associados aos Treasuries

Embora os Treasuries sejam considerados investimentos seguros, eles não estão completamente isentos de riscos. Compreender esses riscos é essencial para gerenciar suas expectativas e estratégias de investimento de forma eficaz.

Risco de Taxa de Juros

O principal risco associado aos Treasuries é o risco de taxa de juros. Quando as taxas de juros sobem, os preços dos títulos existentes no mercado tendem a cair, pois novos títulos são emitidos com taxas mais atraentes, tornando os títulos antigos menos desejáveis. Isso significa que se você precisar vender um Treasury antes de seu vencimento, você pode ter que fazê-lo por um preço menor do que o comprado, caso as taxas de juros tenham subido desde a sua compra. A dinâmica é a mesma quando falamos do Tesouro Direto aqui no Brasil, por isso é sempre recomendável ter acompanhamento profissional para a sua estratégia de investimentos.

Risco de Inflação

Outro risco a considerar é o risco de inflação, que ocorre quando o aumento dos preços ao consumidor reduz o poder de compra dos retornos fixos de um título. Para os Treasuries que não são protegidos contra a inflação, como T-Bills, T-Notes e T-Bonds, isso pode significar que o valor real do retorno recebido é menor do que o esperado no momento da compra. Embora os TIPS sejam ajustados pela inflação, mesmo eles podem não compensar completamente se as taxas de inflação forem inesperadamente altas. De novo, muito semelhante ao que acontece com os nossos Títulos Públicos.

Estes riscos, mesmo que muito baixos, ressaltam a importância de uma abordagem equilibrada e informada ao investir em Treasuries e outros títulos americanos. Embora eles ofereçam segurança e estabilidade, sempre devemos avaliar como cada investimento se encaixa dentro de estratégias mais amplas, especialmente para aqueles que estão diversificando seus portfólios para incluir ativos em moedas fortes como o dólar americano.

Estratégias de Investimento em Treasuries

Ao considerar os Treasuries como parte de um portfólio de investimentos,você deve adotar estratégias que alinhem esses títulos com os objetivos financeiros específicos. Aqui estão duas estratégias comuns que podem ajudar a maximizar os benefícios e minimizar os riscos associados aos Treasuries.

Estratégia Ladder

A estratégia de ladder, ou escada de maturidade, envolve a compra de Treasuries com diferentes datas de vencimento. Isso permite que o investidor se beneficie de taxas de juros mais altas para títulos de longo prazo, enquanto mantém a flexibilidade e acesso a liquidez através de títulos de curto prazo. Ao montar uma escada, os investimentos são escalonados de modo que os títulos vençam em intervalos regulares, fornecendo um fluxo de caixa contínuo e oportunidades regulares de reinvestimento sob diferentes condições de mercado.

Estratégia Barbell

A Estratégia Barbell, ou haltere, envolve investir em títulos de curto e longo prazo, mas evitando títulos de médio prazo. Esta abordagem permite que o investidor capture os rendimentos mais altos dos títulos de longo prazo, enquanto mantém a liquidez com os de curto prazo. É particularmente útil em ambientes de taxa de juros incertos, pois a parte de longo prazo da carteira pode se beneficiar de taxas de juros mais altas, enquanto a parte de curto prazo pode ser reinvestida em títulos com rendimentos mais altos à medida que as taxas de juros aumentam.

Implementar essas estratégias requer uma compreensão cuidadosa do mercado de títulos e uma análise diligente das condições econômicas prevalecentes. Ao utilizar essas abordagens, os investidores podem tirar proveito das características únicas dos Treasuries, ajustando suas carteiras para refletir mudanças no ambiente de investimento e em seus próprios objetivos financeiros.

Aspecto fiscal dos Treasuries

Investir em Treasuries também envolve considerações fiscais que podem afetar os retornos desses investimentos. Compreender a estrutura tributária aplicável é essencial para maximizar a eficiência fiscal dos investimentos em Treasuries.

Tributação Federal

Os rendimentos recebidos dos Treasuries são sujeitos à tributação no âmbito federal nos Estados Unidos. Isso inclui os juros recebidos dos T-Bills, T-Notes, T-Bonds e TIPS. Investidores devem reportar esses rendimentos em suas declarações de imposto de renda federais, o que pode afetar o rendimento líquido desses investimentos.

Considerações para Investidores Internacionais

Para investidores não residentes nos Estados Unidos, os juros dos Treasuries geralmente não estão sujeitos à retenção na fonte federal. Isso os torna uma opção de investimento eficiente do ponto de vista fiscal para aqueles que desejam se expor a ativos denominados em dólar, sem a carga tributária adicional que pode acompanhar outras classes de ativos.

Essas nuances fiscais dos Treasuries americanos demonstram como a legislação tributária pode influenciar a escolha dos investimentos. Investidores devem considerar esses aspectos ao planejar suas carteiras de investimentos.

Papel dos Treasuries em um Portfólio Global

A inclusão de Treasuries em um portfólio de investimentos oferece benefícios para a diversificação global e a mitigação de riscos, especialmente em contextos de incerteza econômica ou volatilidade do mercado.

Os Treasuries são uma ferramenta útil para a diversificação internacional de portfólios. Ao investir em títulos emitidos pelo governo dos EUA, investidores de todo o mundo podem se beneficiar da estabilidade econômica e política dos Estados Unidos, reduzindo a exposição ao risco de seus mercados locais ou regionais. Isso é particularmente relevante para investidores que enfrentam instabilidades econômicas em seus próprios países ou que desejam reduzir a dependência de ativos denominados em moedas mais voláteis.

Além de servir como uma ferramenta de diversificação, os Treasuries podem funcionar como um “porto seguro” durante períodos de turbulência financeira. Quando os mercados de ações e outras classes de ativos enfrentam quedas, os Treasuries geralmente mantêm ou aumentam seu valor, atraindo investidores que buscam segurança. Isso os torna uma opção para hedge (proteção) contra a volatilidade do mercado, proporcionando um contrapeso estável em tempos de incerteza.

Impacto das Políticas Monetárias

As políticas monetárias, especialmente as do Federal Reserve (Fed), têm um impacto direto sobre os rendimentos dos Treasuries. Decisões sobre taxas de juros e outras políticas econômicas podem influenciar diretamente o valor e a atratividade dos Treasuries.

Investidores que acompanham de perto essas políticas podem ajustar suas posições em Treasuries para maximizar retornos ou minimizar riscos, dependendo das mudanças no cenário econômico. O ideal, novamente, é que esses investimentos sempre sejam feitos com o acompanhamento de um profissional de mercado.

Os treasuries podem ser para você

O papel dos Treasuries americanos em um portfólio global não pode ser subestimado. Para indivíduos que entendem a importância de internacionalizar seus investimentos, esse tipo de ativo representa uma maneira segura e estratégica de capitalizar sobre a força e a estabilidade da economia dos Estados Unidos.

Não deveríamos limitar nossas escolhas de investimento apenas aos ativos disponíveis em nosso país de origem, como o Brasil, por mera conveniência ou familiaridade. Ampliar o horizonte para incluir ativos globais, como os Treasuries dos EUA, potencializa a proteção contra as volatilidades do mercado local e também permite o acesso a economias mais estáveis e moedas fortes, como o dólar americano. Adotar essa abordagem vai ampliar significativamente o espectro de segurança e crescimento do patrimônio, criando mecanismos de proteção a diferentes cenários econômicos.

Leonardo Chagas
Leonardo Chagas
Leonardo Chagas é graduado em Relações Internacionais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e atua no mercado financeiro como consultor especialista em investimentos, com ênfase em gestão de patrimônio e investimentos internacionais. Possui um extenso histórico em defesa da liberdade, especialmente durante seu período no Instituto Atlantos, onde serviu como presidente e atualmente é membro do Conselho. Ele também é autor de artigos publicados em importantes veículos de comunicação, como Gazeta do Povo e Exame.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais

Patrocínio