20.3 C
São Paulo
quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024

Reforma no banheiro: dicas essenciais para uma transformação prática e bem pensada

Arquitetas do Studio Tan-Gram compartilham orientações para garantir uma reforma eficiente nos banheiros

A reforma dos ambientes, sem dor de cabeça, sempre deve começar com muita análise, pesquisa, estudo e busca por soluções funcionais que deixem nossa vida mais prática e confortável. Com inúmeras possibilidades de alterações, o banheiro costuma trazer consigo muitas dúvidas e inseguranças quando a ideia é transformar ou, simplesmente, dar um UP no espaço. Afinal, até onde é possível intervir em um cômodo com tantas camadas e ligações tubulares? “É uma reforma complexa, pois mexe com hidráulica, impermeabilização e assentamento de revestimento“, analisam as arquitetas Claudia Yamada e Monike Lafuente, responsáveis pelo escritório Studio Tan-Gram.

Porém, elencar alguns tópicos e entender os processos pode deixar as etapas da reforma mais tranquilas e objetivas. “Primeiro, vale entender as condições do ambiente, se as tubulações estão boas ou se precisam ser trocadas“, inicia Monike. A mesma premissa vale para louças, bancadas e acabamentos – verificando se os revestimentos ainda estão bem fixados na parede; se a cuba e a bancada estão de acordo com as necessidades dos moradores, e assim por diante.

Para essa readequação, alguns ajustes no layout podem ser necessários, como a inversão do local da porta, da posição do vaso sanitário, da bancada ou do box. Contudo, algumas demandas podem ser solucionadas com incisões mais pontuais, como uma troca de revestimento, metais, louças ou até mesmo uma pintura.

Confira, a seguir, quatro tópicos centrais para entender a dinâmica que envolve a reforma do banheiro e os caminhos necessários para cada demanda:

1. De olho no sistema hidráulico

Uma das preocupações mais recorrentes quando se pensa em reformas no banheiro diz respeito ao sistema hidráulico, que é o sustentáculo do cômodo e permeia a base da construção. Por isso, é comum acreditar que qualquer interferência na planta original possa causar estragos ou mesmo uma alteração em todo o sistema interno. Segundo a dupla do Studio Tan-Gram, não é sempre assim: “Se for uma reforma mais pontual, como em revestimento, ou só pintura, dá para manter o sistema hidráulico“, explica a arquiteta Claudia Yamada.

Porém existem ressalvas, onde é necessário mudar esse sistema, como complementa Monike Lafuente: “Se você vai trocar um misturador por um monocomando ou se a tubulação é antiga, se você vai modernizar um banheiro antigo, que era de válvula hydra, agora vai colocar caixa acoplada, tudo isso muda o sistema hidráulico“, elenca.

Para ambos os casos é de extrema importância a presença de um profissional de arquitetura, afinal, como salientado anteriormente, existe um sistema hidráulico que precisa ser levado em consideração mesmo que o objetivo da reforma não seja uma mudança intrínseca.

É importante lembrar que o sistema hidráulico não compreende somente o chuveiro e o vaso sanitário. O sistema engloba também as torneiras e a ducha higiênica, por exemplo. Para esse projeto, os azulejos em tom azul-claro criaram uma composição que nos remete a tempos passados, com a janela arredondada. Com portas espelhadas e nichos abertos, o armário superior trouxe bastante praticidade ao ambiente | Projeto: Studio Tan-Gram | Foto: Estúdio São Paulo

Outra questão essencial na etapa relacionada à hidráulica é verificar e garantir que esse sistema continue funcionando. E, por ser uma área molhada é essencial verificar os detalhes, como se o ralo está escoando corretamente e se não existem vazamentos nos canos e tubos.

2. Substituição de Revestimentos

Outra opção a ser analisada, caso a reforma não precise necessariamente mexer na parte hidráulica, é avaliar se uma troca de revestimentos suprirá as necessidades dos moradores e conseguirão criar um novo cenário.

Nesse tópico, as arquitetas orientam que deve ser evitado instalar o revestimento novo sobre o antigo, uma vez que cada um possui suas especificidades e seu material característico. Por esses e outros motivos, a troca e o assentamento de revestimentos devem ser feitos por um profissional, para que não afete o sistema hidráulico e nem comprometa o orçamento da obra com retrabalhos. Veja exemplos de projetos onde os revestimentos ditaram a decoração e sua mudança criou ambientes personalizados e estilosos: 

Paginadas na vertical, as cerâmicas trouxeram uma nova roupagem para o banheiro, que também ganhou porcelanato no piso, novas marcenarias, louças e acessórios. Aqui, a mudança foi radical e surtiu o efeito desejado pelo casal de moradores | Projeto: Studio Tan-Gram | Foto: Estúdio São Paulo
Neste projeto, os azulejos azuis que constituem uma faixa no banheiro e se mesclam ao nicho embutido dentro do box. O projeto ainda ganhou um toque industrial com o cimento queimado no box e o chuveiro central de teto. | Projeto: Studio Tan-Gram | Foto: Estúdio São Paulo
As pastilhas são peças clássicas no décor do banheiro e preencher uma parede com o material trouxe uma personalidade ímpar ao projeto. A cor azul das peças chama atenção e se destaca da base neutra presente no porcelanato usado em piso e paredes | Projeto: Studio Tan-Gram | Fotos: Nathalie Artaxo

3. Pintura: uma maneira mais acessível de renovar o ambiente

Uma ideia mais econômica e menos invasiva para quem busca uma renovação simples e efetiva no cômodo, ansiando apenas por uma repaginada pontual, é contar com o poder de uma pintura bem executada. “É uma ação pontual, eficaz e bem interessante que dá para transformar o ambiente“, define Monike. A profissional já recorreu à pintura para conseguir assegurar os ensejos dos moradores, evitando mudanças profundas na planta. Acompanhe um projeto onde a pintura deu uma nova cara ao cômodo e mudou a estética:

Para esse projeto, as arquitetas coloriram as paredes com um azul profundo para renovar o espaço. As profissionais optaram também por um box com a esquadria em preto, marcando bem o espaço e criando um contorno interessante. O banheiro faz parte do primeiro apartamento de um jovem rapaz, que queria uma decoração de interior tanto descolada como elegante. | Projeto: Studio Tan-Gram | Foto: Estúdio São Paulo

4. Marcenaria bem pensada: item que sempre dá um efeito especial

Nesse contexto, contar com uma marcenaria linda, colorida ou neutra, também contribui para a mudança do ambiente. Sem contar que o móvel sob a bancada da pia organiza de tudo, enquanto a opção superior, em geral, combinada ao espelho, traz amplitude e também contribui para o visual e praticidade do banheiro. A marcenaria pode reunir gavetas, gavetões, nichos e prateleiras, criando uma nova roupagem para o ambiente sem a necessidade de quebra-quebra. “É muito comum conseguirmos aproveitar a bancada existente e conquistar um novo visual adicionando uma marcenaria colorida, por exemplo. Adoramos!”, explica Monike Lafuente.

Com uma marcenaria azul, tanto para o armário quanto para o nicho embutido, o banheiro brinca com um décor divertido para criar um ambiente funcional. Assim, itens de higiene e de uso prático podem ser armazenados e permanecer ao alcance da mão | Projeto: Studio Tan-Gram | Foto: Nathalie Artaxo

Sobre Studio Tan-Gram 

Tangram é um quebra-cabeça chinês formado por 7 peças geométricas capazes de formar até 5 mil formas diferentes. Inspirado nesta pluralidade, versatilidade e criatividade surgiu o nome do escritório, liderado pelas arquitetas Monike Lafuente e Claudia Yamada. A arquitetura que concebem e acreditam se estrutura na multiplicidade de soluções, adaptabilidade ao usuário-espaço e renovação de conhecimento contínua. São espaços desenvolvidos para o ser humano e, portanto, cada desafio traz uma solução individual. 

Autor:

Lucas Janini

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais

Patrocínio