21.5 C
São Paulo
segunda-feira, 15 de abril de 2024

Afinal, o estresse é o quê?

Considerado o ‘mal do século”, ‘obra malévola da modernidade”, efetivamente o estresse é um agente impactante, desarmônico, que nos tira da nossa zona de conforto, provoca tensão, ansiedade e até, muitas vezes, comportamentos e sentimentos ruins podendo até mesmo nos levar a um estado grave de saúde e até loucura. Mas, será que o estresse é efetivamente um vilão, um mal desnecessário?

Por que o estresse nos abala? Por que se instala e nos corrói??

Precisamos entender a sua origem, a razão de seu impacto em nossas vidas, suas causas, os possíveis caminhos para conseguirmos lidar com ele, assim como suas consequências em nosso organismo para respondermos a essas perguntas.

Pra já, não sei porque culpam tanto a modernidade pelo estresse já que ele nos acompanha desde que nascemos (quiçá até antes disso). Quer algo mais estressante que deixar um ambiente morno e aconchegante para, de repente, após um esforço descomunal, cair nas mãos de alguém que durante muitas décadas nos recebia com uma palmada, só para nos fazer chorar!?

A verdade é que nós já nascemos em um ambiente tenso, barulhento, enquanto atravessamos uma pequena passagem em meio a uma brusca mudança de ambiente, do líquido para o gasoso, morno para gelado e, como se não bastasse, completamente nus. Como se não bastasse, enfrentamos o corte súbito da nossa única fonte de alimento, o cordão umbilical, para depois nos dizerem “Ah, graças à Deus, foi um parto normal”.

Portanto, o fato é que já chegamos ao mundo ‘in mode‘ estressante. Por que o espanto? Admitamos, o estresse faz parte deste mundo e precisamos encará-lo com mais naturalidade.

Afinal, será que todo estresse é negativo?

A resposta é NÃO! Mesmo por que qualquer coisa que possa gerar uma forte emoção ou uma mudança pode ser considerada uma fonte de estresse, mesmo aquelas notícias positivas ou surpresas inesperadas, mas sonhadas.

Presente ao longo de toda a história da humanidade, comum a todos os seres, não só os humanos, mas também os animais e até mesmo os vegetais (quem nunca ouviu falar daquela planta que morreu logo após ter sido alvejada pelos olhos invejosos da visita?).

O estresse não poupa idade, gênero, não quer saber de status ou fama, todos passam por ele, de uma forma ou de outra em alguns (ou muitos) momentos da vida. Nada existe ao acaso, sempre há um propósito para algo ser reconhecido como inexorável, irremediável. Então qual a causa, a origem do estresse e, mais importante, já que estamos no quarto parágrafo e isso pode estar se tornando estressante para você… Como lidar com ele? Calma, é relativamente fácil, ou melhor dizendo, não é impossível se sair bem dele é só usar alguns filtros… :

Filtros de Estratégia de COPING

Primeiro: Conhecer bem a causa. Há causas e causas. O agente estressor é sempre impactante, mas a causa pode ser de origem física, acidental, como também pode ser mental, sentimental, emocional. Pode vir do presente, mas pode vir de algo ruim do passado. Ou pode ser fruto da apreensão do que pode vir no futuro. Pode ser externa, mas pode também vir de dentro.

Segundo: Tendo já localizado a causa no tempo e espaço, vamos ao foco, enxergar o motivo. É hora de saber qual é o motivo, se é real ou fictício, nesse caso, estaremos diante de um ‘inimigo’ invisível, muito mais difícil de combater, escondido no mais profundo esconderijo da nossa mente. Em geral, iremos precisar de ajuda para a busca. É aquela interpretação errada aqui e ali, é uma crença sem pé nem cabeça, são aquelas assombrações trazendo medos infundados ou excesso de zelo.

Terceiro: O enfrentamento. Newton precisou chegar à sua terceira lei para descobrir que ‘toda ação exige uma reação de mesma intensidade, na mesma direção e, em sentido oposto’, portanto, agora é necessário agir. Boa parte do estresse vem de como o regemos em nosso organismo. Como nos sentimos fortes, seguros ou sábios e quais os recursos que temos para lidar com a situação. As mais comuns estratégias de enfrentamento, COPING, estão ao nosso dispor: desprendimento, autocontrole, suporte externo, reconhecimento de seu papel, fuga, análise para resolução, ressignificação ou partir par o confronto ou mesmo a fuga.

Fato é que o estresse é um fator importante para o nossa evolução mental, física, emocional e espiritual. Sem ele estaríamos estagnados em zonas de conforto e completamente aborrecidos e ‘emburrecidos‘.

“Em 1965, o pesquisador Seyle estudou a reação do estresse como a Síndrome de Adaptação Geral (SAG), ou seja, como uma resposta natural e até saudável do nosso organismo na tentativa dele se adaptar a uma situação difícil ou ameaçadora a fim de reestabelecer o equilíbrio inicial”

Você já ouviu falar de Homeostase?

As reações do estresse nada mais são do que uma resposta natural do organismo para se adaptar e recuperar o nível normal de bem-estar e equilíbrio do seu corpo a nossa homeostase (estado de equilíbrio interno). E como isso se processa? Primeiro, rompendo o equilíbrio para depois retornar, eliminando a fonte estressora e a enfrentando da forma mais adequada.

Mas, LEMBRE-SE, a fonte estressora precisa efetivamente existir para ser combatida.

Nosso fortalecimento como seres complexos, máquinas infalíveis, de múltiplas dimensões e possibilidades, originais e curiosos faz com que automaticamente consigamos lidar com o estresse que a vida nos impõe, como elemento propulsor necessário para mexer com nossos padrões, crescermos, amadurecermos e criarmos mecanismos de defesa que só nos fortalecerão.

Dessa forma, conscientes da realidade, a resposta é, sim, o estresse é um mal NECESSÁRIO.

Até breve,

Kawer

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais

Patrocínio