22.2 C
São Paulo
terça-feira, 16 de abril de 2024

Sommelier ensina como harmonizar vinho e feijoada

Especialista em vinhos da Banca do Ramon dá dicas para escolher o vinho que mais combina com o sabor complexo e intenso do prato mais famoso da culinária brasileira. 

A feijoada é um dos pratos típicos mais consumidos do Brasil. De acordo com uma pesquisa do Instituto Ipsos e Datafolha, realizada a pedido da 99 Food, 13% dos entrevistados em todo o país se lembraram do preparo à base de feijão preto, carnes e condimentos. No sudeste, a feijoada é ainda mais popular: 17% das pessoas afirma consumi-la com frequência.

Tradicionalmente acompanhada de cerveja ou caipirinha, a feijoada é uma comida regional que pode ter seu sabor acentuado quando servida com vinho. O sommelier Jamil Abdala, da Banca do Ramon – empório tradicional no Mercadão de São Paulo – ensina como harmonizar vinho e feijoada para criar uma rica experiência gastronômica. 

Com nomes de peso como Mackenzie, SENAC e WSET no currículo, o profissional acumula 12 anos de experiência com vinhos, oferecendo informações detalhadas sobre os rótulos, o que ajuda os clientes a não só degustarem, como entenderem o que estão bebendo.

A harmonização vinho-comida enriquece a experiência gastronômica. Ela cria uma sinergia de sabores que deixa a refeição mais completa, equilibrada e satisfatória. “É uma prática que combina conhecimento, criatividade e apreciação dos sabores, tornando as refeições mais memoráveis e agradáveis”, explica Abdala. 

Feijoada: prato típico do Brasil pode ser harmonizado com vinho

A feijoada é feita a partir do feijão preto, carnes bovinas e suínas, além de temperos como louro, alho e cebola. A receita foi originada a partir do “feijão gordo”, ensopado de leguminosa com toucinho e carne seca. O que torna a feijoada diferente é a adição de linguiças, legumes e carne de porco. O prato começou a ser difundido no Brasil principalmente a partir dos restaurantes e hotéis do Rio de Janeiro.

Harmonizar vinho com feijoada não é uma tarefa simples para quem não está habituado. A complexidade de sabores e texturas do prato deve combinar com um vinho que equilibre essas características: “Harmonizar vinho com feijoada pode ser desafiador, mas também é uma oportunidade de realçar a experiência gastronômica”, pontua Abdala. 

Quais vinhos harmonizam com feijoada?

O sommelier Jamil Abdala explica que existem diferentes variedades de uvas e estilos de vinhos que combinam com esse prato. “Vinhos tintos são a escolha mais comum para harmonização com feijoada, pois sua estrutura e sabores ricos se complementam bem com a carne e o feijão”, explica. Abdala indica os vinhos tintos de corpo médio a encorpados, como  Cabernet Sauvignon, Merlot, Malbec, Syrah e o Zinfandel.

Outra dica é escolher um vinho tinto com boa acidez. “A feijoada tende a ser um prato gorduroso, e vinhos com boa acidez podem ajudar a equilibrar essa gordura. Um Pinot Noir, por exemplo, pode ser uma excelente escolha devido à sua acidez natural”.

Para dar um gosto ainda mais refinado, a melhor opção é o vinho envelhecido. “Se você quiser algo mais sofisticado, vinhos tintos envelhecidos, como um Bordeaux ou um Tannat, podem oferecer complexidade e elegância à refeição”, indicou Abdala.

Dicas para harmonizar vinho com feijoada

Uma dica para harmonizar vinho com feijoada é prestar atenção nas propriedades de ambos. A ideia da harmonização é dar equilíbrio entre os sabores e, para isso, é importante ficar atento na acidez e nos taninos. “A acidez do vinho pode cortar a gordura da carne e dos feijões, enquanto os taninos podem se harmonizar com os sabores defumados e picantes da feijoada”, explica Abdala. 

Outra dica é ficar atento à temperatura de serviço, que varia de acordo com cada tipo de vinho. “Geralmente, vinhos tintos devem ser servidos a uma temperatura entre 16°C e 18°C, mas você pode preferir um tinto ligeiramente mais frio para contrastar com a temperatura quente da feijoada”, indica o sommelier. Um cuidado que parece simples, mas ajuda na harmonização de vinhos, é a escolha das taças adequadas. A opção certa consegue aprimorar a experiência gastronômica. “Use taças de vinho tinto com bojo mais largo para permitir uma maior oxigenação e liberação de aromas. Isso ajudará a realçar os sabores do vinho”. 

A sequência de degustação é um fator essencial na harmonização de vinhos e comidas. A ordem correta permite maior riqueza de sabor e melhor experiência. “Comece degustando o vinho antes de saborear a feijoada para apreciar seus aromas e sabores. Em seguida, experimente a feijoada. Repita o processo e preste atenção como os sabores do vinho interagem com os da feijoada”, explica Abdala. 

Autor:

Mario Reis

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais

Patrocínio