23.7 C
São Paulo
sábado, 24 de fevereiro de 2024

Flying Widows entra em cena com o EP “Serpentining”

Trio apresenta sonoridade pesada e canções em inglês

O cenário musical mineiro ganha mais peso e movimento com a estreia da banda Flying Widows, power trio de rock que incorpora em sua sonoridade elementos de blues, punk, grunge e stoner, e apresenta um repertório com letras em inglês. Formada por Lucas Gomes (vocais e guitarra), Fred Sasso (baixo) e Saulo Ferrari (bateria), a banda está lançando o EP “Serpentining”, contendo cinco faixas, todas elas composições originais.

As músicas do trio têm uma base sólida de rock misturada a uma variedade de gêneros, incluindo jazz e música oriental, além de blues, punk, grunge e stoner, os mais destacados. O EP começa mostrando o rock’n’roll puro em “The Bohemian Gospel” e “Spiraling Eyes”, passa pelo o jazz folk em “Migratory Patterns”, que conta com a participação do pianista Alexandre Ameno, visita o garage Punk na faixa “Speedy González” e chega ao stoner de peso em “Dancing Pills”. “Serpentining” foi produzido pelo vencedor do Grammy Marcelinho Guerra. 

Cantor, guitarrista e autor das músicas, Lucas conta que a banda surgiu em 2022 quando ele, Saulo e Luciano Porto, o primeiro baixista, resolveram dar continuidade às suas carreiras após o fim de sua antiga banda, a Low Mantra. Gravaram três singles e Luciano deixou a banda, sendo substituído por Fred Sasso, já em 2023.

Lucas diz que o seu processo de composição é natural e tranquilo, e que gosta de escrever sobre temas diversos. “Dancing Pills, por exemplo, faz referência ao conto de fadas ‘Sapatinhos Vermelhos’, de Hans Christian Andersen, enquanto “Speedy Gonzales”, que remete ao personagem Ligeirinho dos desenhos animados e ao drink de bar batizado com o mesmo nome”, revela. Utilizando a metáfora de uma serpente que constringe sua presa enquanto ela se entrega completamente, “Spiraling Eyes” fala sobre o amor à primeira vista, como algo perigoso mas ao mesmo tempo hipnotizante, O compositor lembra também que escreveu “The Bohemian Gospel” a princípio como tema para uma ópera rock. 

As influências do trio são variadas, indo das imagens romântico-simbolistas de Jim Morrison e The Doors à sonoridade metálica do stoner rock, passando por Nirvana e Jack White e White Stripes, entre outros. A guitarra de Jimi Hendrix, a bateria de John Bonham (Led Zeppelin) e ritmos brasileiros também entram na lista das referências. O trio planeja também a produção de um videoclipe de “Spiraling Eyes”, para dinamizar a promoção do EP Serpentining”

Flying Widows já se apresentou em casas de shows em Belo Horizonte (Matriz, A Obra, Caverna), mostrando nos palcos, além do repertório autoral, suas versões para músicas de artistas e bandas como The Velvet Underground, Tom Waits, Jimi Hendrix e Beatles.

O trio Flying Widows tem origem na capital mineira, mas pretende conquistar também palcos e plataformas digitais ao redor do mundo, trajetória que fez a banda Sepultura, formada em BH, há 30 anos. Lucas considera que as letras em inglês, a sonoridade pesada e a absorção de gêneros – as principais características da banda – podem ser assimiladas por plateias de rock em todo o mundo. “E com as facilidades oferecidas pela tecnologia digital, as músicas podem circular pela internet e atingir um público mais amplo, em vários países”, avalia o guitarrista. O nome da banda, Lucas revela, não tem significado enigmático: surgiu de brincadeiras com apelidos entre eles.

O EP “Serpentining” estará disponível em todas as plataformas de música no dia 12 de dezembro de 2023.

Acesse: https://bfan.link/Flying-Widows-serpentining

Autora:

Luciana Braga

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais

Patrocínio