20.9 C
São Paulo
quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024

O toque mágico da produção de interiores no décor dos ambientes

Como uma cereja que enaltece a exuberância de um bolo, a arquiteta Marta Martins explica como desenvolve seu planejamento com a escolha dos itens que ornamentam cada espaço da casa e que, ao mesmo tempo, denotam a personalidade do morador

Na interseção entre a estética e aplicabilidade, arquitetura e decoração de interiores residencial operam em uma espécie de fusão com um único e precioso propósito: resultar na criação de espaços capazes de irradiar o estilo e o jeito de ser dos seus habitantes. Seja em casas, apartamentos, como também na atmosfera corporativa, a forma como os espaços são concebidos influencia diretamente em uma rotina eficiente no dia a dia e na qualidade de vida que todos buscamos.

É pensando nesse cenário que a produção de ambientes entra em cena como uma etapa de finalização, emoldurando cada ambiente como verdadeiras obras que, muito além da admiração, entregam funcionalidade. Por meio de uma cuidadosa seleção de móveis, cores, texturas, acessórios e iluminação, a arquiteta Marta Martins coloca em prática, de forma visível, os gostos individuais e coletivos dos seus clientes, concebendo atmosferas que inspiram, acalmam e energizam. Para ela, cada canto é uma tela em branco pronta para receber a montagem de uma estética capaz de suprir o ser humano em diferentes esferas.

“Nessa alquimia, precisamos investir em um senso apurado que nos leva ao equilíbrio nas definições daquilo que estará lado a lado no mesmo espaço. Para alcançarmos o ápice, precisamos acertar na base que nos permite trabalhar com as peças que passaram por nossa curadoria”, detalha a profissional.

A dedicação meticulosa com a produção de ambientes vale tanto para o interno como o externo, uma vez que as expectativas dos moradores não ficam restritas em uma parte do projeto. Nessa varanda externa, o projeto executado pela arquiteta Marta Martins exalta a harmonia entre o mobiliário e os adereços que complementam sua proposta| Foto: Julia Herman

Seja um amante do minimalismo, um entusiasta do maximalismo ou um apaixonado por estilos ecléticos, a montagem dos espaços oferece um vasto campo de possibilidades que toma forma depois de profundas conversas com o cliente para entender seu desejo e sua necessidade. Esse contato tão próximo que Marta estabelece permite a conclusão do briefing que a conduzirá no processo de curadoria em lojas físicas e on-line, além de garimpos e outros locais que a permitem encontrar a peça almejada.

Com tudo em mãos, o próximo passo, de acordo com ela, é iniciar a preparação de cada um dos espaços da casa. “Eu gosto de escalonar esses produtos em levas, pois o visual de uma fase dita é o complemento da próxima fase“, descreve a arquiteta. Assim, ao contar com os móveis principais como sofás, mesas, cadeiras e camas nos ambientes, ela consegue delinear o perfil de quais acessórios decorativos ela buscará, como vasos, almofadas, quadros e esculturas, entre outros. 

Do estilo maximalista ao mais sutil, compor os espaços com os mais variados acessórios é como assinar uma obra de arte, expressando a personalidade de quem vive ali no dia a dia | Projeto Marta Martins | Foto: Julia Ribeiro

Cores e texturas

A produção de ambientes opera, ainda, na composição minuciosa de elementos. Desde decoração aos produtos de cama, mesa e banho, junto com as cores é fundamental pensar no sensorial que as texturas concederão ao projeto. Essa espécie de quebra cabeça, com peças únicas, expressa a mensagem daquilo que é essencial para o morador. “Esse conjunto de tarefas pode denotar o apreço do cliente pelo colorido intenso ou por uma forte mistura, do neutro ou do monocromático, por exemplo, como referências que costuma acompanhar o que é ditado pelas tendências. Por agora, está em alta o dourado e objetos em acrílico“, analisa Marta.

Misturar cores, materiais e texturas deve partir de um estudo sobre a intenção do que se quer transmitir no ambiente e quais elementos conversam da melhor maneira. No olhar da arquiteta Marta Martins, a madeira sempre será uma peça coringa | Foto: Julia Herman

Iluminação

Parte fundamental na composição de um espaço, a iluminação afeta o humor e o bem-estar, assim como as sensações de conforto, aconchego e a condições propícias para o desempenho das atividades. Assim, muito além daquilo que é percebido pelos olhos, a análise da profissional é voltada no propósito de valorizar os itens certos e não incorrer no risco de algum deles causar incômodos.

Ao escolher a iluminação ideal para cada ambiente, Marta aponta a necessidade de considerar a função do espaço, a quantidade de luz necessária, a temperatura de cor, o tipo de luminária e a disposição dos pontos de luz. Em casos de home office, é recomendável optar por uma iluminação branca, que estimula a concentração e proporciona nitidez. Já em áreas de relaxamento, a iluminação amarelada e quente, é mais indicada, pois oferece uma atmosfera acolhedora.

Sobre Marta Martins

Marta Martins acredita que cada projeto é um novo desafio para criar propostas adequadas às necessidades do cliente. Sendo assim, ela e sua equipe oferecem soluções inteligentes e viáveis para converter cada projeto em realidade, fazendo presente o requinte do clássico e a praticidade do estilo moderno, adequando espaços e transformando cada trabalho em uma obra única, com toques de elegância e originalidade. 

@martamartinsarquiteta 

Site: www.martamartins.com.br 

Autora:

Flávia Ávila

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais

Patrocínio