20.9 C
São Paulo
quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024

Juntas, porém delimitadas: a importância da oferecer a independência entre a cozinha e a área de serviço nos projetos residenciais

Antigamente, a lavanderia ficava em um espaço mais escondido, mas no contexto atual do mercado imobiliário, sua localização está sempre próxima à cozinha. Para que as movimentações entre os ambientes não sofram com interferências, a arquiteta Maria Milani explica como gosta de resolver essa questão

Culturalmente, o brasileiro sempre adorou ter sua própria área de serviço. Além da facilidade de organizar os produtos de limpeza e lavar as roupas em casa, nossas condições climáticas com calor e vento abundante são pontos a favor. No mercado imobiliário, o planejamento arquitetônico de apartamentos e residências tem valorizado a conexão das áreas de trabalho – caso da cozinha e da área de serviço.

Mas isso não quer dizer que os dois ambientes precisam ter o acesso completamente aberto: seja pela interferência de odores dos pratos preparados e que podem impregnar nas roupas penduradas no varal ou mesmo pelo desejo de não deixar a área de serviço exposta para todos, a arquiteta Mari Milani conhece de perto essa missão propiciar discrição em ambientes tão próximos, mas com vida própria. “Mesmo realizando um fechamento, não excluímos a praticidade que é executar as tarefas domésticas entre os dois espaços”, explica.

Ainda de acordo com ela, a instalação de uma divisória pode ser considerada tanto plantas baixas maiores, como também em layouts mais compactos. A seguir, acompanhe dicas e boas ideias realizadas por Mari Milani:

Divisão totalmente fechada ou parcialmente aberta?

O ponto de partida é definir a opção que irá compartimentar a cozinha e área de serviço, que pode ser feita em serralheria e fechamento de vidro e madeira, por exemplo, considerando as portas em tipologias que melhor atendam o projeto como as mimetizadas, de correr ou de folhas. Nesse entendimento, a profissional ainda coloca como observação a necessidade de ventilação e luz natural para a área de cocção e preparo dos alimentos. “Caso esses fatores estejam dispostos apenas na área de serviço, precisamos pensar em alternativas que ofereçam esses atributos também para a cozinha“, indica.

Nesses casos, a instalação de cobogós, serralheria com vidro e portas ripadas são opções são boas soluções avaliadas por Mari Milani. No capítulo vidro, as sugestões mais empregadas são mini boreal ou canelado. “Eles são perfeitos quando não queremos deixar à vista alguma baguncinha que esteja presente na lavanderia”, destaca.

Uma vez que a área de trabalho da cozinha contava com as esquadrias, nesse projeto a arquiteta Mari Milani considerou uma porta de madeira para a divisão com a área de serviço. Na paleta, ela aplicou o mesmo verde menta presente na marcenaria dos armários | Projeto: Mari Milani | FOTO: Erika Urbino

Nessa cozinha pequena e em formato corredor, a arquiteta Mari Milani investiu em uma porta ripada para restringir o acesso à área de serviço | FOTO: Rafa Ramos

Iluminação em dose dupla nessa cozinha executada pela arquiteta Mari Milani. Para prover a privacidade desejada perante a área social, as esquadrias da janela e da porta em serralheria são de vidro canelado | Projeto: Mari Milani | FOTO: Erika Urbino

Além do charme da divisória para a área de serviço, a arquiteta Mari Milani criou um painel ripado de madeira para garantir a ventilação da janela | FOTO: Erika Urbino

Os cuidados com a umidade

Por se tratar de ambientes com grande utilização de água, a arquiteta reforça a importância de pensar em materiais apropriados como serralheria, alumínio ou madeira maciça. “Todos são resistentes e não se danificam com facilidade“, analisa. Ademais, Mari também os considera perfeitos para a personalização dos projetos, principalmente em peças sob medidas.


Na cozinha de estilo americano, a divisória de serralheria com vidro boreal contribuiu com o projeto idealizado pela arquiteta Mari Milani, como também entregou a discrição almejada por ela e os moradores | FOTO: Erika Urbino

Em mais essa cozinha aberta, dessa vez a arquiteta Mari Milani escolheu o vidro boreal para compor a serralheria da esquadria | FOTO: Erika Urbino

Sobre Mari Milani

Formada em arquitetura e urbanismo em 2009, pós-graduada em master arquitetura em 2012, com mais de 200 projetos realizados em lares e negócios, Mari Milani está sempre presente nas maiores feiras e eventos de design do mundo acompanhando e trazendo as últimas tendências de mercado para seus clientes.

Para ela, a construção de um ambiente transformador vai além de erguer paredes e distribuir cômodos; é a habilidade de criar um espaço que reflita a personalidade e os sonhos de cada cliente, pensando sempre no conforto e segurança. Cada projeto é uma oportunidade de criar sensações diferentes e únicas, seja por meio da iluminação, do formato ou da decoração.

www.marimilani.com

@marimilani_arquiteta

R. Marina Jacomini, Nº 57 – Santa Paula, São Caetano do Sul – SP

Autor:

Lucas Janini

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais

Patrocínio