22.4 C
São Paulo
sábado, 15 de junho de 2024

Como combinar estética e funcionalidade na iluminação de ambientes

Arquiteta da Dell Anno compartilha dicas para ir além das luminárias

A iluminação de interiores não é apenas uma necessidade técnica, mas uma ferramenta poderosa, que determina o tom do ambiente e as sensações que queremos despertar. Ao priorizar os pontos de luz desde as fases iniciais do projeto, é possível garantir um trabalho em conjunto com todos os elementos do espaço, criando uma experiência única e personalizada.

Uma iluminação integrada vai além da escolha de luminárias, levando em consideração a combinação harmoniosa de luz com o espaço, materiais e funções.  “Ela é usada para criar uma atmosfera agradável, destacar elementos de design e melhorar a segurança. Os elementos de iluminação nos ajudam a criar projetos que combinam estética e funcionalidade”, ressalta a arquiteta e urbanista da Dell Anno Giselle Molina.

Na hora de planejar o ambiente, é essencial considerar uma série de fatores, como eficácia energética, custo-benefício e durabilidade, além da sensação desejada no espaço. Por exemplo, uma luz direcionada pode ser usada para destacar um quadro na parede, enquanto a luz difusa cria um efeito de sombras suaves na parede, contribuindo para uma iluminação indireta. Para destacar a decoração, por exemplo, a Dell Anno tem prateleiras já com luminárias embutidas, que criam uma iluminação difusa para objetos de decoração. 

Quando se trata de grandes projetos, como residências, a tendência é a iluminação com LED, que é a principal tecnologia de iluminação atual, oferecendo uma série de vantagens em relação às lâmpadas tradicionais, como incandescentes e fluorescentes.  Além de uma maior eficiência, são opções versáteis e podem ser utilizadas nas mais diversas aplicações, como em fitas, luminárias embutidas, spots de foco ou lonas tensionadas. 

Muitos projetos contam com iluminação indireta, numa proposta mais intimista e aconchegante. Nesses casos, ela pode partir da parte interna de armários, fundos de nichos ou  sancas de gesso. Uma opção oferecida pela Dell Anno são as luminárias embutidas nas laterais dos armários, que criam uma zona de iluminação interna maior e, por consequência, refletem no fundo do móvel. “Essa opção é indicada caso o cliente opte por usar algum material diferenciado, como lâmina natural ou couro, garantindo a elegância do móvel e do ambiente”, indica a arquiteta. 

Para ampliar o potencial da iluminação, é essencial consultar um profissional de arquitetura e decoração. O especialista é capaz de fazer um estudo personalizado e indicar os produtos mais adequados para os ambientes propostos e com o melhor custo-benefício. 

Quatro opções de iluminação embutida:

– Painéis retroiluminados em fundos de armários: criam uma sensação de amplitude interna. A dimerização oferecida pela Dell Anno possibilita criar diferentes atmosferas no espaço. 

– Perfis de ilha iluminados para cozinhas: a iluminação indireta traz a sensação de que o tampo em pedra está flutuando em cima do móvel. Além disso, melhora a visualização interna das gavetas.

– Perfis verticais iluminados: podem ser usados tanto no closet quanto na cozinha. Em roupeiros ou paneleiros, marcam um feixe de luz, sinalizando a porta e facilitando a abertura. 

– Prateleiras iluminadas de alumínio e vidro em roupeiros: além de destacar a beleza do material, esse tipo de iluminação interna auxilia na visualização de produtos e roupas internamente.

Natalia Lima

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais

Patrocínio