22.4 C
São Paulo
sábado, 15 de junho de 2024

Viva e Deixe Viver revela os livros mais lidos para as crianças e adolescentes em 2022 durante ações de seus voluntários

Entre as opções estão “A vaca que botou um ovo”, “O sapo Bocarrão”, “Até as princesas soltam pum”, entre outros

Os voluntários da Associação Viva e Deixe Viver, ONG que há 25 anos atua com contação de histórias para crianças e adolescentes em hospitais brasileiros, comentam quais foram os 100 livros mais lidos durante o trabalho voluntário em 2022. Na lista,  estão sucessos da literatura infantil que mais encantaram os ouvintes em todo o Brasil. 

No topo da lista, destaque para os cinco livros mais lidos. A seleção traz os clássicos: “A Vaca que Botou um Ovo”, de Andy Cutbill, da Editora Salamandra; “O Sapo Bocarrão”, de Keith Faulkner, da Editora Cia das Letrinhas; “Até as Princesas Soltam Pum”, de Ilan Brenman, da Editora Brinque Book; “A Festa no Céu”, de Angela Lago, da Editora Melhoramentos e “Léo e a Baleia” de Benji Davies, da Editora Paz e Terra.

Entre os projetos de incentivo à leitura e contação de histórias da Viva e Deixe Viver, destaque para o Bisbilhotecaviva, que no site oficial da associação compila os principais livros utilizados pelos voluntários, vídeos da ação Viva Personas e mais de 40 opções de literatura infantil para serem lidos gratuitamente. O livro “Juju no Hospital”, na seleção dos 100 livros mais lidos, está disponível no Bisbilhotecaviva.

“A importância da leitura se mostra presente desde a primeira infância e o trabalho voluntário da Viva busca esse estímulo, impactando não somente as crianças, mas seus familiares. A leitura no ambiente hospitalar leva motivação e coração para os pacientes. As crianças se identificam com os livros e suas histórias que as permitem sonhar e se desligar, mesmo que momentaneamente, de que estão dentro de um hospital”, comenta Leda Dal Magro de Meneses, Coordenadora Viva Brasília e voluntária da ONG.

Os benefícios da contação de histórias se estende ao mundo escolar, como complementa a voluntária: “Participar do VivaEduque nas escolas, nos traz oportunidades de mostrarmos nosso trabalho como voluntários, contadores de histórias,   mediadores de leitura, levando aos estudantes histórias, brincadeiras e conhecimento da Viva e Deixe Viver, com muito amor e alegria pelo que fazemos. Ao contar histórias nas escolas, atingimos um público de aproximadamente de 300 crianças por turno, com uma grande receptividade, integração e alegra”, finaliza Leda.

A lista completa pode ser encontrada no site da Viva e Deixe Viver (clique AQUI para acessar).

Sobre a Associação Viva e Deixe Viver

Fundada em 1997 pelo paulistano Valdir Cimino, a Associação Viva e Deixe Viver é uma Organização da Sociedade Civil (OSC) pioneira em diversas frentes e políticas públicas. Por meio da arte de contar histórias, forma cidadãos conscientes da importância do acolhimento e de elevar o bem-estar coletivo, a partir de valores humanos como empatia, ética e afeto.  A entidade também é referência em educação e cultura, por meio da promoção de atividades de ensino continuado. Nesse sentido, conta com o canal Viva e Eduque, espaço criado para a difusão cultural, educacional e gestão do bem-estar para toda a sociedade. Hoje, além dos 1.357 fazedores e contadores de histórias voluntários, que visitam regularmente 85 hospitais espalhados pelo Brasil, a Associação conta com o apoio das empresas Pfizer, Mahle, Volvo, UOL, Safran, Rede D’Or, Ache, CCS Tecnologia, Montana Química, Viveo, Daviso, Veneza Máquinas e Q Passos Alimentos.

Autora:

Fernanda Barbosa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais

Patrocínio