20 C
São Paulo
quinta-feira, 28 de março de 2024

Consumo consciente de álcool no Carnaval evita danos ao corpo; Dr. Dárcio Pinheiro explica

A festa mais popular do ano chegou. Após dois anos sem Carnaval de rua, a alegria toma conta dos foliões e os blocos atraem multidões em várias partes do país. Porém, apesar da euforia, é importante também pensar na saúde. O consumo exagerado de álcool, por exemplo, pode causar problemas. Por isso, é interessante manter o equilíbrio para que o corpo não sofra as consequências.

O médico Dr. Dárcio Pinheiro comenta que o calor da época e a festa fazem com que as pessoas tenham propensão ao álcool. Mas, ele alerta que o excesso pode causar desidratação, dano ao fígado e ao estômago, e até mesmo perda de memória recente. O médico explica que o fígado tem capacidade para processar certa dose da bebida, mas quando esse limite é ultrapassado, pode causar prejuízo diversos ao órgão.

“Antes de sair de casa é necessário preparar o corpo. Pense nos seus limites e se alimente bem. O mais importante é manter a constância da hidratação. A cada latinha de cerveja, beba um copo de água. Prefira alimentos leves e carboidratos. Coma frutas e não esqueça de descansar bastante antes e depois da folia”, pontuou.

O médico reforça que a água é a melhor opção antes, durante e depois da festa. Além de hidratar, ela vai impedir que o álcool se concentre no sangue. Por isso, é importante intercalar entre uma bebida e outra. A água de coco, por exemplo, é uma aliada da hidratação. Se sentir que irá passar mal, suspenda a bebida alcoólica.

“O limite ideal de álcool a ser ingerido é 600 ml de cerveja ou dois drinks. Porém, a cultura popular exagera. Meu conselho é que, se começar a ter vertigens, pare de beber. Assim, você vai evitar passar mal no meio da festa e, consequentemente, fazer mal ao corpo”, disse.

“Se o exagero foi intenso, o ideal é fazer a reposição de minerais na veia, o famoso soro fisiológico. Mas, a maioria consegue se recompor com uso líquidos, principalmente água de coco e hipertônicos, além de uma bela refeição e frutas. Um caldo de cana cairá muito bem também”, acrescentou.

Outro alerta do Dr. Dárcio Pinheiro é: evite misturar bebidas. O teor alcoólico dos destilados é maior que o da cerveja. Quando os dois são consumidos em um intervalo de tempo muito pequeno, o efeito é potencializado no corpo e aumenta as chances de passar mal.

“Se você misturar vai perder a festa e correr o risco de ter que ir ao hospital tomar soro para se recuperar. Além disso, não aceite bebida de estranhos, afinal, não sabe o que pode ter sido colocado nela. Se no dia seguinte sentir ressaca, coma frutas, beba água e repouse. E nunca dirija sob o efeito do álcool”, concluiu. 

Autor:

Henrique Souza

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais

Patrocínio