20.2 C
São Paulo
quarta-feira, 24 de abril de 2024

Teoria do caos

A palavra Ecpirótico vem do grego “ekpyrosis”, mais precisamente da filosofia estoica. Diz respeito à “destruição ou conflito pelo fogo”, que representa o ciclo eterno da destruição e renascimento. Nessa hipótese, estaríamos agora em uma fase de “explosão”, que em algum momento vai desacelerar, parar, reverter e reduzir até atingir temperaturas e pressões inimagináveis. Então, o universo iniciará um novo processo de Big Bang[1].

O que há\existe, entre tudo que existe\há, que nos aponte que há\existe algo?

A teoria do caos é um sistema filosófico\fenomenológico que bebe nas águas da teologia. O fenômeno da nossa pesquisa\suspeita, está tão presente entre nós, que ele\fenômeno não é percebido\levado a sério – é simples mais é sofisticado.

O sistema tem um lastro de estrutura\envergadura interno\externo, que se amara interno\externamente, quando você o percebe no seu interior, o exterior vai se desvelando, a estrutura, explica a conjuntura.

A teoria do caos tem seu próprio vocabulário\verbete. Quando eu não entendo as palavras\significados de uma estrutura de pensamento eu não alcanço a conjuntura\estado da questão. O vocabulário da teoria do caos é constituído de uma única palavra, todo um sistema de pensamento é sustentado de forma simples\sofisticado. O verbete\vocabulário do fenômeno é a palavra\dupla face, mediocridade\perda de material. Quando me refiro as coisas\objetos, vou usar o termo perda de material (o ferro se enferruja, a ferrugem é o material que o ferro perdeu; a madeira apodrenta, ela perde o seu material; as construções de alvenaria se dissolve se esfarelando, perdendo o seu material), o mesmo ocorre com os seres humanos, nós nos tornamos mais medíocres. Mediocridade é perda de material cognitivo, a perda de material ataca o Hardware\Software simultaneamente – você envelhece e vai ficando senil\anódino.

Perda de material\mediocridade são correlatos unívocos, o mesmo fenômeno que ocorre ao mesmo tempo em todas as coisas As coisas tem perda de material, os homens\mulheres padecem de mediocridade. Quanto aos animais não sei dizer, mais deve perder material degenerescência\cognição como nós também – a raiva, o mau humor, impaciência, burrice, parece, está aumentando\perda de material.

            O fenômeno percebido pala teoria do caos parece apontar para um retorno célere das coisas, desorganização\caos – as coisas nem são fixas, nem evoluem, elas recuam, só o trabalho estaciona e as faz evoluir. Evolução não é natural é trabalho. Para ganharmos material precisamos trabalhar, agora mais do que nunca, organize tudo o que está desorganizado, desde as coisas mais rudimentares da sua casa, bairro até as mais complexas das cidades, país\mundo. Revista tudo o que é corruptível de incorruptibilidade – enferrujou, lixe e pinte, sujou lave bem e guarde. Temos que organizar tudo o que está caótico – as coisas do mundo\objetos, espaços públicos, as coisas da mente\mediocridade – comece a ler\escrever com as mãos, lápis\canetas. As coisas, perda de material\mediocridade, estão em um retorno iminente\célere. Precisamos vencer essa crise com empregabilidade plena – pleno emprego. Todos\todas fazendo tudo o tempo todo, trabalhando, organizando, tirando o caos\desordem dos espaços de convivência, das coisas do lar\vida.

O texto base que começou nossa reflexão é Bíblica, embora a gente parta de um texto da religião judaico-cristã, a discussão não é religiosa\hegemônica:

“No princípio criou Deus o céus e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espirito de Deus se movia sobre a face das aguas”. (Almeida, revista e corrigida, 1957).

Parto do princípio que o texto faz uma descrição do caos como abertura das coisas criadas por Javé-Deus. Não sabemos o que ocasionou o caos. Não sabemos se o caos\desordem do começo\início consiste em restos\escombros de uma enorme explosão, não sabemos. Só sabemos que há uma desordem\caos no início e que Javé-Deus está no meio\entre este estado de coisas. E Javé-Deus cria as coisas do jeito que as conhecemos hoje, dando organicidade\beleza aquilo que era sem forma\caótico – Javé-Deus cria o Cosmo.

O que mais sabemos? Sabemos\percebemos hoje que esse material\matéria se desorganiza muito rápido, tornando tudo um caos\desordem: o ferro enferruja, a madeira apodrece, a alvenaria se esmigalha e os seres animados, animais\homens, sofrem a degenerescência – só as pedras, parece, resistem, talvez por isso elas possuam uma forma\formato tão caótico. Que mais sabemos? Sabemos que para durar\consertar o efeito nefário do caos sobre todas as coisas que conhecemos, temos que revesti-las de uma incorruptibilidade, a gente pinta, lixa, substituímos o material por um outro mais resistente, a isso chamamos de trabalho. O trabalho é a única forma que conhecemos para lidarmos com a desordem\caos instalados em todas as coisas, inclusive nas coisas espirituais – graça, milagres e fé são contingentes, não existe controle nenhum das coisas da metafísica religiosa, não seja ingênuo\charlatão. A Igreja\cristianismo vem trabalhando\pesquisando, a mais de dois mil anos, para entender a natureza metafísica da religião, o problema não é metafísico\Deus, o problema é o material   Parece que o caos reclama o retorno ao seu estado de origem[2] o tempo todo e nós o enfrentamos com trabalho duro, prático\teórico – se a gente\nós continuarmos separando a fé[3] da razão, o caos vence – o fundamento que sustenta todas as coisas parece, é o trabalho, portanto, a saída do estado de desorganização\caos é o trabalho. Parece que o darwinismo[4] se equivoca, as coisa não evoluem naturalmente, elas voltam ao seu estado de origem, desordem\caos. Evolução é trabalho.

                   Deus trabalha transformando caos\desordem, em Cosmo

         O Cosmo tende a desordem\caos, na ausência do trabalho

                                   Logo, quem sustenta o Cosmo é o trabalho

            Santo Agostinho estava certo o mau (caos\desorganização) é ausência do bem (trabalho). Lucrécio estava errado, as coisas\natureza são mantidas\organizadas pelo trabalho, caso contrário, tende para seu marco zero\caos, se a desorganização ainda não é total, significa que Javé-Deus existe e está fazendo o que a gente não alcança\pode fazer. E O filosofo Bertrand Russell estava certo o fluxo\caos é continuo, o trabalho tem que ser também.


[1] https://canaltech.com.br/espaco/estudo-apoia-a-hipotese-de-que-o-universo-se-encolhera-ate-um-novo-big-bang-170972/

[2] Há uma tradição na filosofia que diz que tudo que é originário não se destrói, não foi gerado, não foi criado, a gente tem que aprender a lidar\trabalhar com o que é originário, que vem da origem.

[3] A Igreja\cristianismo é a maior franquia que existe no mundo, tem muito dinheiro para bancar, junto com os grandes empresários o emprego total das pessoas trabalho\pesquisa, só precisa saber\perceber que o fundamento de tudo, fé\razão é unicamente o trabalho. Esse fenômeno de igrejas cheias de pessoas é um equívoco, igreja é lugar de visitação, o povo precisa está trabalhando para alcançarmos a incorruptibilidade das coisas corruptíveis, mais estabilidade, permanência\longevidade, isso segundo Javé-Deus, só acontece com o trabalho. O Catolicismo está certo, suas igrejas são vazias, tem tanta beleza, arte e relíquias, o povo visita e depois vai trabalhar. Salvação escatológica\céu só para trabalhadores, igreja é só para visitação – se a gente\todos, mulheres, homens, crianças, idosos, não trabalhar agora mais do que nunca, ninguém se salva, não haverá salvação nem aqui, nem em lugar nenhum.

[4] Darwinismo é o nome dado à teoria evolucionista baseada nas ideias de Charles Darwin. Assim como outras teorias evolucionistas, o darwinismo defende a descendência com modificação, contrapondo, portanto, a ideia fixista de que as espécies são imutáveis.

Autor:

Francis Nogueira Macedo 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia mais

Patrocínio