9.6 C
São Paulo
quinta-feira, 19 de maio de 2022

FORA – FORA

Fora, fora!

O covidão,

o mal educado,

chegou de mala e cuia, sem ser convidado e,

sem cerimônia, esticou a rede no meu quarto.

O sinistrozo disse que veio passar uma boa temporada no meu corpo.

Fora, fora. Não te quero aqui a me aprisionar em um isolamento.

Saia agora, agourento!

Quero a vida aproveitar…

A luz do sol aquecer a minha pele, e noites de AMOR a desfrutar!

Fora, fora. Bicho gosmento! No meu corpo não fará morada!

Tenho aqui medicamentos e muita força para te expulsar!

Não menospreze a minha força vital com muitas imunidades!

Tenho uma alma Solar que você não vai eclipsar!

Saia depressa, a rua é a serventia da casa.

Fora, Fora bicho gosmento fora, fora bicho agourento

Já tirou muitas vidas e a infância quer extirpar.

Não deixando esperança a um País levantar.

Com a tua gosma de insultos mil quer o Brasil empobrecer

Destrói florestas e legaliza o roubo de madeiras.

Fora, fora! Fora do meu corpo! Fora do Brasil!

Aqui não te queremos mais!

Fora vírus! Fora verme!

Fora do meu corpo

e fora do Brasil!

Deixe uma resposta

Leia mais

OUTONO

EU – NÓS

A paz dos fortes

Esperar o que?

UM PRESENTE AOS DIAS FUTUROS