20 C
São Paulo
sábado, 22 de janeiro de 2022

Será que sou um beliscador emocional?: Ansiedade e Compulsão alimentar

“Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem o maior número de pessoas ansiosas do mundo, sendo 9,3% (18,6 milhões) de brasileiros que convivem com ansiedade e compulsão alimentar.” (Revista Exame, 5 jun 2019)

Por ser um momento bastante atípico e interpretado pela nossa mente como uma ameaça à nossa sobrevivência, muitos de nós acabam se encontrando constantemente em um estado ansioso, desenvolvendo a compulsão alimentar quando a pessoa sente a necessidade ou vontade de comer mais e mais, mesmo já estando satisfeita e completamente sem fome, as vezes sem perceber a quantidade de comida. Muitas vezes em alguns casos, as pessoas acometidas dessa compulsão, comem até passar mal. Um dos principais pontos da compulsão alimentar é a perda de controle sobre a sua relação com a comida, gerando insatisfação e estresse.

A compulsão alimentar pode ser desencadeada por diversos fatores, desde predisposição genética a situações específicas que gerem medo, estresse ou ansiedade. 
A ansiedade, por si só, está bastante relacionada com este transtorno, pois ela exige da nossa mente uma ação para o alívio imediato, uma compensação, fonte de prazer e, muitas pessoas, acabam encontrando esse alívio na comida.

Além de desencadear medo e estresse o prato feito para a compulsão alimentar,
A ansiedade é uma reação normal do ser humano e pode ser entendida como um mecanismo de defesa em situações que inspiram tensão, expectativa ou medo.
É uma emoção caracterizada por um estado de agitação, que pode ser acompanhado por nervosismo, preocupação, inquietação, tensão muscular, problemas para concentração e a temida compulsão alimentar.

No entanto, quando esse sentimento (ansiedade) ultrapassa um nível saudável, afetando a saúde física e mental da pessoa, vira um distúrbio, o Transtorno de Ansiedade Generalizada.

Aí surge um questionamento, qual a relação entre Compulsão alimentar e a Ansiedade?
Vamos lá…

A compulsão alimentar está associada a sentimentos de ansiedade, estresse e depressão. Isto ocorre, devido a um distúrbio químico nos mecanismos da saciedade, levando ao ganho de peso, pois consomem mais calorias do que necessitam por dia. Isso acaba afetando a autoestima, aumentando todo o estresse e a ansiedade.

Quando uma pessoa fica ansiosa, na expectativa de algum acontecimento, em sua vida, seja uma prova, uma viagem, casamento, etc, elas conseguem aliviar toda a tensão, nervosismo que estão sentindo através da comida sua maior fonte de prazer e satisfação, principalmente por doces, salgados e refrigerantes.

A vontade de que tipo de alimento comer, nem sempre são iguais, acabam variando de pessoa para pessoa, lembrando que cada ser humano é singular, único. Para algumas pessoas, é preferível comidas salgadas, para outras comidas mais gordurosas ou até mesmo por doces e comem várias vezes ao dia, aqueles beliscadores emocionais, comem sem perceber.

Mas não vá achando que você possui uma compulsão alimentar, só por causa daquela festinha ou aquele churrasco que você foi no final de semana e comeu mais do que de costume. Pois, após esta comilança toda, você acaba percebendo que extrapolou apenas naquele dia e volta a sua alimentação normal durante a semana.

O tratamento da compulsão alimentar e ansiedade é multidisciplinar e especializado, ou seja, a pessoa é acompanhada por vários profissionais. Em muitos casos, é necessário que a pessoa compulsiva seja acompanhada por um psiquiatra, nutricionista, nutrólogo, clínico geral, psicólogo, entre outros especialistas. O tratamento para a compulsão alimentar e ansiedade envolve diferentes tipos de terapia ou medicamentos que devem ser seguidos para aumentar a qualidade de vida e diminuir os sintomas compulsivos.

Autora:

Marta Batista

Deixe uma resposta

Leia mais

Tempos incertos

Duas de mim: uma coluna particular

Prevenção e controle de riscos

A copinha