18.3 C
São Paulo
domingo, 7 de agosto de 2022

Ana Paula Malmonge afirma: “Prefiro trabalhar na base do que no profissional”

A treinadora do sub 16 do Minas Brasília FF acredita que o trabalho feito na base perdura por mais tempo e tem mais efeito na vida de um atleta do que o acompanhamento quando já está formado. 

Por Carlos Marcelo – 23/11/2021 – Vinhedo/SP

Ao ser perguntada se seu maior sonho seria treinar a seleção brasileira feminina, Ana Paula Malmonge, carioca radicada em Brasília desde muito pequena e atualmente Head Coach da base da equipe de futebol feminino Minas Brasília, responde que não. 

Porém, ela rapidamente se corrige:

“O sonho é treinar um sub-15, sub-16 da seleção feminina.”

Pode parecer uma afirmação inusitada, mas após alguns minutos de conversa com Ana Paula podemos entender muito suas motivações para buscar sempre um trabalho próximo à base e longe dos holofotes do futebol profissional. 

Foto: Instagram – @paulamalmonge (à esquerda)

Atleta desde muito pequena, Ana Paula não teve apoio de seu pai quando disse que queria seguir os passos de seus irmãos e tentar trilhar o caminho do futebol.

Apesar de ter o apoio de sua mãe, na medida do possível, ela teve que desde cedo contar com seus treinadores para achar a motivação dentro de si para continuar, e até mesmo entrar nesse mundo.

“Em Brasília só que ele começou a me apoiar”, diz. “Ele viu um jogo meu, viu que eu era boa mesmo no negócio e depois disso começou a ajudar. Mas, antes disso, se eu não tivesse o treinador pra me falar que eu era boa, eu nunca nem teria tentado.”

Ela diz também que, principalmente no futebol feminino, é necessário muita dedicação e acompanhamento qualificado das atletas por parte dos treinadores, psicólogos esportivos e de todo o staff.

“Já teve atleta chegando pra mim de todo jeito. Já teve até menina que foi abusada pelo antigo treinador”, conta Ana Paula. 

Para a treinadora, se o trabalho formativo for bom, o atleta seguirá sua carreira com uma boa base tanto física, como técnica e, principalmente, psicológica, que Ana Paula diz ser o grande diferencial entre uma atleta que se mantém em alto nível e uma atleta que acaba desistindo ou perdendo ritmo de performance. 

Foto: Instagram – @paulamalmonge

Por isso, quando perguntada sobre qual seria seu sonho, ela afirmou, sem dúvida alguma, que quer trabalhar na base da seleção brasileira feminina de futebol. 

Ana Paula Malmonge, que ainda não tem planos concretos de sair de Brasília, vive com sua companheira Maria Clara Araújo, fisioterapeuta.

Deixe uma resposta

Leia mais

Patrocínio