Fontes alternativas de energia

1
281
Fonte: Monteiro Assessoria Elétrica

A energia hidrelétrica, quando comparada às demais fontes de energia, possui um conjunto de vantagens atreladas, em especial, ao seu custo/benefício. A principal vantagem das usinas hidrelétricas é que elas utilizam a água, um recurso natural renovável, para a produção de energia.

As usinas hidrelétricas são frequentemente apontadas como uma força de produção de energia limpa, porém essas unidades são responsáveis por um conjunto de impactos ambientais, que provocam uma profunda transformação do ambiente natural. Senão vejamos: 1) alteração das formas de vida das populações, em especial, de grupos tradicionais, como ribeirinhos, indígenas e quilombolas; 2) supressão da vegetação nativa por meio do alagamento de grandes áreas de floresta para a construção das barragens; 3) emissão de gases que intensificam o aquecimento global, como o dióxido de carbono e metano, produzidos por meio da decomposição de matéria orgânica; 4) acentuação do assoreamento dos rios devido à intensa modificação do fluxo natural da água do rio e dos seus processos hidrológicos; 5) extinção de espécies, em especial, aquáticas, as mais atingidas pela modificação do fluxo de água dos rios e desequilíbrio de ecossistemas, por meio da transformação das dinâmicas ambientais e da alteração de recursos naturais, como o solo, o ar e a água.

Entretanto, o Brasil é um país localizado essencialmente no tropico. Mesmo os estados mais ao sul (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul) tem Sol praticamente o ano todo. Aproveitar essa localização tropical, que possibilita a utilização da energia solar, deveria ser preponderante na obtenção de energia, para incorporar à matriz energética brasileira e não ficar dependente da energia gerada pelas águas dos rios brasileiros.

Publicidade

Países como a Alemanha, que tem menos energia solar, devido a sua localização, tem a tecnologia fonte alternativa de energia, baseada na energia solar mais desenvolvido que o Brasil. Os países europeus, como a França e a Alemanha, produzem energia através de reatores nucleares e o Brasil, equivocamente, desperdiçou tempo e dinheiro para se apropriar desse tipo de energia. A vocação brasileira tem que ser outra em termos de geração de energia. Além de altamente poluidora, a produção dessa energia causa danos ao meio ambiente e o resíduo oriundo dessa forma de produção requer local adequada e duradouro para seu depósito.

Apesar de possuírem maior disponibilidade na natureza e provocarem menos impactos ambientais negativos, as fontes alternativas de energia são pouco utilizadas, pois necessitam de maiores investimentos tecnológicos para viabilizar economicamente seu uso, tornando-as acessíveis. Essa pode ser uma justificativa plausível, mas deve-se considerar os impactos que cada uma dessas energias provoca na natureza. Com certeza, não avaliados em comparação com os tipos de produção de energia, os impactos ambientais, advindo na produção dessas energias.

O planeta Terra passa por um desgaste tremendo dos seus recursos naturais e necessita, cada vez mais, de energia. Nossa sociedade não pode viver sem energia e água. Pode-se observar que estamos destruindo nossos recursos, nesse modelo capitalista de expropriação da natureza. Há um preço a pagar, pois os rios brasileiros tem, cada vez, menos água; as florestas estão sendo derrubadas de forma agressiva, o ar das cidades das grandes metrópoles, como São Paulo, por exemplo, está cada vez mais poluído, os oceanos estão inundados de plásticos, gerando um desequilíbrio na natureza.

É hora de parar e refletir! Que país, que mundo, deixaremos para as novas gerações?

Uma forma de começarmos a tomar atitudes é produzir energia a partir de novas fontes. Essas novas fontes não podem ser energia nuclear, energia gerada por termoelétricas ou mesmo por hidrelétrica que estão esgotando os nossos recursos hídricos.

O Brasil, pode gerar energia a partir do Sol (energia solar), dos ventos (energia eólica), da biomassa, por exemplo. A energia solar é uma das energias alternativas que mais vêm ganhando espaço no cenário e no mercado de energias. É considerada uma fonte de energia alternativalimpa e renovável,além de apresentar bom custo/benefício. Trata-se de um recurso abundante, principalmente nas regiões intertropicais. Países que se encontram entre os trópicos possuem enorme potencial para a produção desse tipo de energia. Entretanto, ainda está muito acanhado o investimento nesse tipo de energia. Somente quando há crises na geração de energia hidrelétrica é que se aventa a produção de energia solar.

Apesar de contar com uma das matrizes energéticas mais renováveis do mundo, possuindo, aproximadamente, 83% de fontes renováveis para a produção de energia elétrica, o Brasil ainda encontra alguns desafios para alcançar as metas de utilização dessas fontes. Entretanto, o número de sistemas fotovoltaicos instalados no território brasileiro tem crescido consideravelmente se considerarmos os custos de aquisição, que ainda são altos devido à falta de incentivos por parte do governo. Em 2016, cresceu, aproximadamente, 407% (especialmente em residências) o número de microgeradores de energia solar no Brasil, de acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O Brasil possui uma incidência solar de 4 KW/m2, estando à frente de países como Estados Unidos e China.

É necessário que o país invista, cada vez mais, na oferta de incentivos, linhas de crédito e financiamento, a fim de estimular a diminuição dos preços da tecnologia alternativa e contribuir para a geração de energia, que não afete o meio ambiente.

As vantagens na utilização da energia solar são muitas: 1) a energia solar é totalmente renovável; 2) a energia solar é infinita; 3) não faz barulho; 4) não polui; 5) manutenção mínima; 6) baixo custo considerando a vida útil de um sistema fotovoltaico; 6) fácil de instalar; 7) pode ser usado em áreas remotas, onde não existe energia; 8) casas que possuem energia solar fotovoltaica instalada podem gerar a sua própria energia renovável e assim praticamente se livrar da sua conta de luz para sempre; 9) sistemas fotovoltaicos valorizam a propriedade; 10) quanto mais energia solar instalada no Brasil, menor é a necessidade de utilizarmos as usinas termoelétricas que são caras e menor a inflação na conta de luz e 11) a indústria de energia solar no Brasil gera milhares de empregos todos os anos.

A instalação de coletores solares planos possibilita ao proprietário utilizar energia solar para aquecer água para banhos, para lavar louças na cozinha, por exemplo. Só nessas duas atividades muito da energia hidrelétrica deixaria de ser transformada de energia nobre para energia pobre. Sabe-se através da Física, que o calor dissipado é uma forma de energia pobre. Essa pode ser uma saída para os desprovidos de recursos financeiros, não podendo obter um sistema mais sofisticado, gerando energia elétrica para outras finalidades, tais como iluminação de ambientes, utilização de ar condicionado ou mesmo passar roupas, que são extremamente consumidores de energia.

Aqui foi explorado uma fonte de produção de energia alternativa. Na próxima matéria vamos enfocar outra forma de energia alternativa, que é a energia eólica. Essa é uma forma de energia que o Brasil pode produzir e está produzindo, mas de forma muito acanhada. Ao se adentrar na Holanda ou na Espanha, pode-se observar muitas torres eólicas, produzindo energia para a população desses países, por exemplo. A produção de energia é muito mais limitada em países como a Espanha, a Holanda ou Israel, por exemplo. Estes países não possuem recursos hídricos como o Brasil, mas são altamente tecnológicos, buscando fontes alternativas de energia para suas subsistências energéticas. Criar novos meios de produção de energia, no Brasil, é necessário para um país que necessita crescer. Crescer requer incentivos governamentais, para a produção de empregos e qualidade de vida para a população.

Autor:

Jonas Nery

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta