Amanhã

0
185

Sinto sua presença, sua energia anuncia a sua chegada. Cada segundo vira uma eternidade em ver a porta abrir.

Os anos se passaram, você estará diferente, em traços e expressões. Mas, isso não importa. Só interessa saber que encontrarei o brilho em seus olhos com que deixei você partir. Eu não tive escolha.

Os segundos passam arrastados e o silêncio torna-se ensurdecedor, parece que até as paredes sem vizinhos fazem barulhos.

Publicidade

Espero sua voz ecoar corredor adentro até que a porta se abra. Será que ainda mantém a voz grave? Será que ela mudou com o passar dos anos?

Ninguém entenderia se eu contasse sobre toda essa espera, passo dias sentada na cadeira de balanço olhando pela janela, nenhum vulto parecido ao seu se aproximou até hoje.

Ainda não o vejo, mas sei que se aproxima, sinto no ar algo modificado. Esse quarto está com uma aura diferente e a cadeira de balanço range mais do que devia. Em algum momento avistarei seu vulto ou ouvirei você chamar meu nome e verei a porta abrir.

Muitas pessoas entraram aqui na tentativa de me tirarem, mas, eu te esperei, sabia que você voltaria. Ninguém mexeu nas suas coisas, não deixei!

Alguns insistiam que a cadeira de balanço se mexia sozinha porque não queriam me ver, só queriam mexer nas suas coisas, nossas coisas! Eu não deixei. Dei um jeito de tirá-los daqui.

O anseio por sua chegada toma conta de mim. Quantos anos esperei!

Há fendas no teto desse quarto, faltou sua manutenção, mas você precisou partir para sua vida e eu precisei ir cedo demais. No entanto, te esperei no lugar que um dia do campo você me acenou e abriu seu sorriso iluminado.

Hoje, verei ele novamente.

Sim, eu escolhi esse lugar para te esperar. Sei que você lembrará dele! Quando um promissor corretor veio ver essa casa hoje, deixou cair o jornal que falava da sua internação. Dei um jeito de demove-lo da idéia de tentar vendê-la, pelo modo que ele saiu daqui acho que consegui.

A notícia do jornal te fazia uma homenagem, dizendo que você foi um homem honrado de muitos feitos, que ajudou muitas pessoas e que nunca se casara. E que, hoje, finalmente, se despediu em paz. Sei que esperava o nosso reencontro.

Hoje, finalmente, você estará aqui…

Você tentou impedir que eu partisse tão cedo, fez de tudo, procurou os melhores médicos. Mas, tudo bem, eu te esperei no mesmo lugar…

Hoje, vou te ver novamente…

Ouvir o ranger da porta abrir…

Você chegou e toda a espera se consagra agora!

Autora:

Jade de Andrade

Deixe uma resposta