16.5 C
São Paulo
domingo, 17 de outubro de 2021

Lastro: uma necessidade mundial

Até 1971 qualquer um poderia se apresentar com uma quantidade de dólares americanos em um banco e exigir que seu maço de papel moeda fosse transformado em barras de ouro.

Como já descrevi no artigo “CRIPTOMOEDA É INVESTIMENTO? ” Até 1971 toda moeda impressa devia ser lastreada por OURO, isto significa que “somente podia estar em circulação a quantidade de papel moeda equivalente ao valor máximo em ouro guardado nas reservas federais da nação”.

Semelhantemente as moedas de todas as nações também eram lastreadas conforme a regra mundial de lastro que previa OURO ou PRATA, a Inglaterra até usava como moeda a LIBRA que nada mais é que uma unidade de peso em prata.

Mas um dia o presidente americano Richard Nixon decidiu abandonar o modelo de “LASTRO” mundialmente reconhecido, que consistia no precioso mineiro extraído, periciado, avaliado e custodiado.

Era preciso encontrar uma nova forma para impor a força monetária nacional e não podia simplesmente estar atrelada à quantidade de ouro adquirida e custodiada, qualquer um poderia fazer isto e até crescer sobre a nação americana, seria suficiente comprar e custodiar mais ouro.

Foi exatamente neste ano que os Estados Unidos d’América bolaram o grande plano: Obrigar todas as nações a adquirir DOLARES AMERICANOS de forma que ele mesmo se torne LASTRO para a moeda de todas as outras nações, e … mais as nações compravam DOLARES AMERICANOS mais o valor deste lastro crescia, criando assim a VALORIZAÇÃO da MOEDA AMERICANA sem qualquer razão de lastro, somente pelo princípio da OFERTA e da DEMANDA.

Para conseguir este grande feito, o Presidente Richard Nixon estabeleceu o maior acordo financeiro do planeta, oferecendo sua aliança militar para o Rei da Arábia Saudita que com sua influência obrigaria a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) a utilizar o USD como única moeda de intercambio para importar ou exportar petróleo, nascia por meio deste acordo o LASTRO EM PETRODOLAR.

Desta forma os Estados Unidos receberam permissão mundial para imprimir a quantidade de papel moeda de Dólares Americanos que se fizesse necessária para suportar todas as importações de petróleo entre as nações, e claramente a partir desta moeda forte, “O PETRODOLAR”, todas as importações e exportações do mundo passaram a ser lastreadas na MOEDA AMERICANA.

Seja claro que não existe mais “LASTRO EM OURO” nem em qualquer outro minério ou precioso em posse dos estados Unidos d’América, o que existe é o valor que é dado a única moeda aceita para importar e exportar petróleo no planeta inteiro.

Bem que alguns, poucos, tentaram se rebelar a esta imposição mundial, um dos mais evidentes foi Muammar Al Gaddafi que como Presidente da Líbia também era grande produtora de Petróleo e de Gás e que próximo a Europa tentou furar a ordem militar Americana oferecendo Petróleo e aceitando em troca o pagamento em EURO, não vingou em seu intento.

Outro que tentou o mesmo caminho foi o Iraque por meio do seu presidente Saddam Hussein o qual foi deposto, preso e enforcado.

Também o Brasil ensaiou um acordo comercial com o México durante o Governo de Ernesto Geisel rebelando-se ao acordo americano e obrigando-se os dois países latinos a utilizar exclusivamente as moedas dos próprios países para todos fins de importação e de
exportação, também não vingou!

Mas a força dos países asiáticos nunca se demonstrou tão eficiente quanto sua incrível atuação para derrubar a economia do petrodólar.

Começou a China com pequeno ensaio em 2012 onde convenceu o Irá sobre o qual gravavam restrições econômico politicas impostas pelo ONU por causa do veto americano, a vender seu petróleo e a receber em YUAN (moeda chinês) e na mesma linha cinco anos depois o Venezuela aderindo a nova pratica econômica e rebelando-se a regra mundial americana começou a cotar petróleo em YUAN.

Atualmente a China negocia petróleo com pagamento em YUAN com a Rússia, Irã, Iraque, Venezuela, Turquia, Nigéria, Angola, e desta forma está pressionando a OPEP a aceitar o YUAN em todas suas transações de petróleo.

Como se tornou tão eficaz seu discurso econômico? É simples e primordial: LASTRO!

A grande jogada da economia chinês, se fundamento no LASTRO do YUAN: Todos que operam em YUAN, todos que compram petróleo em YUAN podem trocar cada YUAN de posse deles pelo equivalente em OURO no XANGAI GOLDEN EXCHANGE.

A Rússia foi um dos primeiros a aceitar que a regra do LASTRO MUNDIAL retornasse ao OURO e renovo por mais três anos o acordo de intercâmbio rublo-yuan para o progressivo aumento da utilização de suas moedas, as duas fundamentadas e responsabilizadas por meio do LASTRO em OURO.

Desta forma a CHINA está comprando em YUAN petróleo, gás, ouro, cobre, alumínio.

O grande resultado econômico chinês se deve ao fato que a moeda deles não é apenas um “papel moeda” impresso e sem valor, a moeda chinesa tem LASTRO.

A própria ascensão das criptomoedas nos mercados mundiais evidencia a fragilidade do sistema econômico fundamentado no Dólar Americano, o “bitcoin” nasceu com cotação de “poucos centavos de USD”, e atualmente estamos próximos a cotação de 6 mil Dólares Americanos para comprar um único bitcoin.

Em 2014 o anuncio por parte do KUWAIT FINANCIAL CENTER, órgão financeiro melhor conhecido como MARKAZ, que propôs negociar o petróleo produzido no KUWAIT em BITCOIN, despertou graves reclamações por parte dos países que ainda negociam suas importações em petrodólares.

E por consequência surgiu mais uma vez a questão, desta vez levantadas pelo mercado financeiro destes países “CRIPTOMOEDA NÃO É LASTREADA”.

Grande verdade, mas a questão principal é que “todas as moedas feitas exceção para o rublo e o yuan” não possuem mais LASTRO nenhum.

É preciso garantir seus próprios papeis, hoje há uma banalização dos valores financeiros.

No Brasil o Fundo Garantidor de Credito (FGC) garante máximo Reais 250 Mil Reais sobre o deposito bancário individual, não importa se você guardou quinhentos mil reais na tua conta bancaria, se o banco falir você terá direito a apenas o valor máximo de Reais 250 Mil Reais.

Isto porque também os Bancos no Brasil não possuem qualquer lastro suficientemente aceitável.

Por causa de um acordo internacional o sistema financeiro utiliza-se do ACORDO DE BASILEIA, regra que permite alavancar os números das contas 11 vezes a mais, isto quer dizer que um Banco que tem apenas 100 milhões de capital possa operar mais de 1 bilhão, isto é LASTRO?

Vamos imaginar a seguinte situação, eu tenho 1 milhão de reais em minha conta corrente e vou comprar alguma coisa pelo valor de 990 mil reais, eu tenho meu dinheiro depositado em um banco e sou obrigado a utilizar os serviços deste banco e a limitar as operações em dinheiro por causa da legislação do pais, darei então um cheque da bandeira do Banco que custodia meu dinheiro (dinheiro físico, dinheiro real) para meu fornecedor que o aceita verificando minha idoneidade financeira e não a idoneidade financeira do Banco.

Este é o ponto, em caso de falência, o BANCO não pagará aquele papel, porque é somente um papel impresso e nada mais, sem qualquer lastro do emissor, simplesmente aceito por causa de convenção nacional de entendimento comercial sobre o lastro do cliente assinante e não do banco emitente.

O Banco utiliza-se de meu dinheiro para lastrear suas posições e alavancar meu risco de 11 vezes para seu exclusivo retorno financeiro, mas ainda assim não lastreia suas posições financeiras.

LASTRO é uma necessidade mundial, os bancos não possuem lastro nenhum, as pessoas físicas possuem lastro individual, as pessoas jurídicas possuem lastro societário, ativos, cash, posses.

Da mesma forma que avaliamos uma empresa antes de começar um relacionamento comercial, da mesma forma que avaliamos um cliente quando deve-se conceder qualquer margem de credito, também deve-se avaliar a instituição financeira com quem estarás trabalhando.

É necessário que o legislativo mude as regras financeiras do Brasil para garantir os investidores, os que aplicam seu dinheiro, obrigando as instituições financeiras a LASTRO REAL.

Se perder dinheiro na BOLSA isto faz parte do risco, porque é uma aposta consciente, mas se perder o dinheiro de teus depósitos e aplicações por causa de falta de LASTRO do BANCO é ridículo!

Portanto, sempre dê preferência a garantias pessoais, ou a garantias de pessoas jurídicas, sejam de qualquer forma sempre garantias com LASTRO REAL, e redimensione seu risco financeiro porque seu banco certamente não tem lastro suficiente para cobrir seus depósitos, e se o Banco insistir, exigia um documento oficial no qual conste que te garante o valor total de teus depósitos ainda que sejam acima do valor máximo aceito pelo FGC, mas verifique o LASTRO REAL do documento proposto.

Autor:

Dr Nazir Angelo Disanto, Investor and CEO GRUPO PERLATENDA

Deixe uma resposta

Leia mais