12 C
São Paulo
quinta-feira, 29 de julho de 2021

Suspeita sem culpa

Na terra dos altos coqueiros, onde o céu é mais azul, onde o vento toca o rosto como um beijo. Pernambuco encanta, inspira cantos e poesias, autores do quilate de João Cabral de Melo Neto, Manoel Bandeira (o pai das artes modernas), Ariano Suassuna e o genial Alceu Valença, relatam seu amor e admiração pela beleza, história e cultura que emana desse lugar.

Quando falo dos atrativos dessa terra abençoada as pessoas dizem que sou suspeita por ser pernambucana, então respondo: sou suspeita, mas não sou culpada! Pois nasci em um lugar lindo onde tudo convida a viver, a observar as belezas naturais que Deus criou, a desfrutar de um lugar icônico com tudo que nele há.

Um dos Estados do país com litoral de águas mornas, gostosas para banho de norte a sul, são 187 km entre praias, baias, pontais, estuários, manguezais, piscinas naturais e muita beleza. Lugar que vale apena parar e observar a geografia local, os bancos de areias, recifes, serras, matas, cachoeiras, rios que se encontrando com mar em um navegar lindo, dançando uma coreografia de entrega e renovo. Com uma costa que desenha as curvas do mapa, ilustrando as curvas da vida.

Olha, ainda não falei da história que rua após rua, define esse lugar. Pernambuco do Brasil tem muito que falar. Contar a história da nossa colonização, que no começo o açúcar era ouro em grão, que dos engenhos iniciou a povoação de cidades em cidade. Dizer que as irmãs Olinda e Recife disputaram para ser capital, a segunda para deixar de ser areal e se tornar Recife cidade muticultural, por abrigar os holandeses, judeus, luso-brasileiros e outras nacionalidades que aqui encontraram uma nova pátria. Deixando um pouco de si, formando o que seria de nós. Capitanias, sinagogas, porto, comercio e engenho, tudo somado resulta em Pernambuco hoje, um solo de amor intenso.

Um amor tão grande contagiando de geração a geração, os filhos de Estado, fazendo os olhos brilhar quando falamos do que temos e quanto é precioso esse lugar. Por vezes taxados de soberbos com mania de grandeza. Mas isso não é verdade, o que temos é uma alegria imensa de pertencer a um lugar tão lindo, com vivacidade e nobreza de majestade. Quanto à mania de grandeza que nos acusam, deixo o guinness book explicar melhor. Sim, o livro dos recordes, falará… Não é a toa que estamos lá. És alguns motivos: 1- Maior Bloco de carnaval o Galo da Madrugada; 2- Pelo Frevo do Recife; 3- Maior avenida em sentido reto do mundo (a Av. Caxangá, hoje não está mais, mas já esteve). Acredito que em breve estarei também, por ser a pessoa que mais fala desses recordes (risos).

Chego ao fim desse texto, afirmando que disse desde o começo, temos motivos de sobra para amar e admirar Pernambuco, e se você ainda não conhece, “vem que eu quero te mostrar”1!
1Trecho extraído da canção Recife minha Cidade, Composição: Reginaldo Rossi. Cantor Pernambucano.

Autora:

Sheylla Reis, formada em Administração e Guia de Turismo em Pernambuco.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

Leia mais

%d blogueiros gostam disto: