20 C
São Paulo
sábado, 22 de janeiro de 2022

Principais termos financeiros para o bom RH de uma empresa

Confira alguns dos principais termos de finanças que todo profissional de RH deveria conhecer!

Os profissionais do setor de RH podem, às vezes, se encontrar em desacordo com o Financeiro ao buscar a aprovação de propostas. 

Embora ambos os grupos, esperançosamente, tenham os melhores interesses da organização em mente, diferentes abordagens e terminologias ressaltam as diferenças que muitas vezes existem entre esses dois departamentos.

Para tentar unir esses dois setores fundamentais para o desempenho de qualquer empresa, listamos alguns dos principais termos de finanças que os profissionais de RH também podem conhecer. Confira!

Termos financeiros para profissionais de RH

ROI (Retorno do Investimento): Isso se refere a quanto lucro ou economia de custos é gerado em um determinado período como resultado de uma despesa específica. Profissionais de RH que às vezes são acusados de apresentar argumentos “fracos” para justificar despesas monetárias podem usar cálculos de ROI embasar suas solicitações. Por exemplo, quais são os custos incorridos no desenvolvimento de um novo programa de capacitação? Quais serão os benefícios monetários desse treinamento?

Receita: A entrada total de fundos em uma organização, geralmente resultante da venda de bens ou serviços, calculada antes da dedução dos custos ou despesas. Este valor inclui todas as vendas realizadas a clientes, além de outras receitas decorrentes das operações comerciais.

Despesas: Todos os custos dedutíveis das receitas.

Margem bruta: Receita de vendas menos o custo das mercadorias vendidas. Este termo é frequentemente usado como uma medida de desempenho.

Lucro líquido: Receita menos despesas, incluindo manutenção, impostos e perdas. 

Margem de lucro: A porcentagem da receita total que a receita líquida representa. Este termo é frequentemente usado erroneamente como sinônimo de lucro líquido, então é importante não confundir os conceitos. Se a receita total para um determinado período for de R$ 12.000 e as despesas forem de R$ 10.000, a receita líquida será de R$ 2.000, enquanto a margem de lucro será de 16,67%. As margens de lucro aceitáveis variam amplamente de acordo com o setor.

Valor agregado: O preço de venda de bens ou serviços menos o custo de quaisquer matérias-primas ou insumos adquiridos em outro lugar. O sucesso de um empreendimento geralmente é medido por quanto valor uma organização pode agregar a seus bens ou serviços.

ROA: Retorno sobre ativos; a relação entre o lucro líquido e o ativo total. Às vezes usado como uma medida em planos de remuneração de incentivos executivos.

Ativo: Qualquer coisa de propriedade de uma organização/indivíduo com valor comercial ou de troca, incluindo reivindicações contra terceiros. Contas a receber, estoque de produtos e edifícios de propriedade da empresa são exemplos de ativos. Em contabilidade e finanças, os funcionários ou a marca de uma organização não são ativos. 

Passivo: Dívida ou responsabilidades devidas por uma organização que devem ser pagas no futuro. Exemplos de passivos são contas a pagar, títulos a pagar e impostos a pagar.

Diferimento de impostos: Adiamento de impostos para um período de pagamento futuro, muitas vezes pelo reconhecimento de receita ou ganho em um momento posterior, como por meio de planos de aposentadoria qualificados.

Incentivos fiscais: Benefícios que reduzem a receita antes dos impostos, resultando em menos impostos pagos pelo empregador e pelo empregado. 

Lucro por ação: O lucro líquido de uma organização dividido pelo total de ações em circulação, ajustado para equivalentes a ações ordinárias. Isso é frequentemente usado como medida em programas de remuneração de incentivos executivos.

Balanço: Uma declaração detalhada das finanças de uma organização, mostrando ativos, passivos e patrimônio líquido. O balanço patrimonial segue a fórmula: ativos = passivos + patrimônio líquido. O balanço patrimonial descreve o bem-estar financeiro de uma organização em uma determinada data.

Declaração de renda: Uma declaração financeira incluindo receitas e despesas incorridas durante um determinado período, como um ano fiscal. 

Valor presente: O valor atual de um pagamento em dinheiro, bem ou serviço, descontado a uma taxa de juros apropriada. Pela lógica do valor presente, R$ 5 recebidos daqui a cinco anos valem menos do que R$ 5 recebidos hoje. 

Usando fórmulas de valor presente, as suposições sobre as taxas de juros futuras são aplicadas para produzir estimativas do valor atual de um real entregue em algum ponto específico no futuro. Essas fórmulas são úteis para determinar o ROI das iniciativas propostas.

Por que é importante o RH compreender as finanças?

Todos os setores de uma empresa precisam se unir em busca dos benefícios da organização, esse é o principal motivo pelo qual é importante para o RH saber sobre finanças. 

Além disso, ambos os departamentos buscam um melhor desempenho dos funcionários, o que por sua vez ajuda a gerar lucros para a empresa. 

É importante que os profissionais de RH conheçam a linguagem empresarial que é finanças. A principal função de recursos humanos é a contratação, treinamento, manutenção e aprimoramento do relacionamento e desligamento de funcionários. 

Tudo isso acarreta um custo que o departamento financeiro analisa.

Os tempos mudaram

Organizações anteriores entregavam todo o trabalho relacionado a dinheiro ao departamento financeiro e todo o trabalho relacionado a recursos humanos ao departamento de RH. 

Mas com a mudança do tempo, os dois departamentos perceberam que precisam trabalhar juntos. Ou seja, o departamento de RH também lida com finanças no recrutamento de novos funcionários. 

Por exemplo, caso sua organização precise enviar documentos de funcionários para o exterior, provavelmente será necessário o serviço de tradução juramentada. E nesse caso, é muito importante que o setor de RH tenha certeza das informações que estão presentes no documento original para evitar desperdício de tempo e dinheiro.

Esse é mais um motivo para que as equipes de recursos humanos tenham uma boa compreensão dos termos utilizados pelo setor de finanças.

Além disso, ao lidar com a parte burocrática da empresa, o departamento deve buscar por soluções que resultem em lucros para a empresa. Portanto, todos esses processos exigem análise de dados que, por sua vez, é trabalho das Finanças. 

Se esses dois departamentos trabalharem juntos, isso será possível. Portanto, o objetivo final da organização deve estar na cabeça de ambos os departamentos.

Autor:

Dalton Ribeiro

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

Leia mais

Tempos incertos

Duas de mim: uma coluna particular

Prevenção e controle de riscos

A copinha

%d blogueiros gostam disto: